A escolha do sindicato dos funcionários públicos de pedir o impeachment do prefeito, após ver frustrado o reajuste salarial da categoria, é ridícula e abominável por ser desrespeitosa com a soberana vontade do eleitor

Impeachment

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba, Salatiel Hergesel, protocolou na manhã de hoje (16/03) um pedido de impeachment do prefeito Crespo (DEM). Uma decisão ridícula e abominável por ser absolutamente desrespeitosa com a vontade do eleitor que, em dois turnos, em 2016, diante da possibilidade de 5 candidatos ter escolhido Crespo para governar a cidade até 2020.

Não passa de balela e xororô a argumentação de Hergesel, a de que Crespo descumpre o orçamento aprovado na Câmara no ano passado ao negar o reajuste à categoria, já que a peça continha previsão de aumento para a classe. Crespo agora não deu nada, é verdade, mas não disse que na próxima reunião, em outubro, não vá dar nada. Portanto é ridícula essa argumentação uma vez que outubro ainda faz parte do orçamento atual.

Hergesel acusa ainda o prefeito de ter cometido “estelionato eleitoral” ao não cumprir promessas de campanha, como não reajustar a tarifa do transporte público. Ai ai ai. Que abominável argumentação! Não há um único eleito no Brasil, na história das eleições, que não deixaram de cumprir o que prometeram. Campanha é intenção. Propaganda é o que o candidato gostaria de fazer. Lippi terminou o governo com 30 e tantas obras paradas. Pannunzio se mexeu, se mexeu, se mexeu, mas não há um único indício do BRT nas ruas da cidade. Este tipo de argumentação é o que há de mais espúrio na vida pública.

Mas obviamente Hergesel sabe de tudo isso. Joga para a torcida, ou melhor, para o seu eleitor, o funcionário público. Cria fumaça.

Todo o respeito que demonstrei por Hergesel até aqui foi pelo ralo. Bastou a conveniência para ele jogar no lixo o que até o impeachment de Dilma ele pensava.

Liderar a luta dos servidores municipais é legítimo e merecido o reconhecimento, mas brincar com a vontade do eleitor, da soberania da democracia, é desprezível. É desonesto. Um ato que revela o desespero de Hergesel, ou seja, o interesse pessoal de quem fez história ao conseguir que os servidores fizessem greve anos atrás e que hoje não tem o mesmo respaldo da categoria e tem sua liderança contestada nos corredores do Paço Municipal. Quando o interesse público fica em segundo plano, e prevalece o pessoal, a sociedade é quem mais sofre.

 

FOTO: Nas redes sociais, meme cobra coerência do presidente do sindicato dos servidores que entendia como sendo golpe o impeachment de Dilma e agora usa da mesma prática