Advogado que denunciou diploma falso na Prefeitura de Sorocaba faz o mesmo em relação a Câmara; presidente quer se antecipar a ação do Ministério Público e vai reunir Mesa para criar uma sindicância de investigação

AnselmoBastosO presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba, Rodrigo Manga, vai se reunir com os outros integrantes da Mesa Diretora da Casa Legislativa, cumprindo o artigo 23 do Regimento, que afirma que “Ao Presidente da Câmara, dentre outras atribuições, compete:  XXI – determinar a abertura de sindicância ou processos administrativos, em face da deliberação da Mesa”, ou seja, sem decisão da Mesa, por si só, o presidente não pode criar sindicância para apurar a situação de servidores, comissionados ou não, que ocupam cargos para os quais se exige formação em nível superior, mas que poderiam ter apresentado diplomas irregulares ou falsos.

A intenção de Rodrigo Manga é se antecipar à possibilidade do Ministério Público instaurar inquérito para apurar a autenticidade dos diplomas a partir de representação protocolada na manhã desta quarta (13/09) – conforme anunciado por mim na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) – pelo advogado Anselmo Bastos.

Anselmo Bastos fez uma representação citando a existência de servidores que supostamente estariam se utilizando de diplomas falsos para ocupar cargos na Prefeitura de Sorocaba ao Ministério Público no dia 24 de fevereiro deste ano. A denúncia chegou às mãos do promotor de justiça Marcelo Sigari Moriscot, porém, foi arquivada recentemente por “falta de elementos”.

Porém, está na memória de todos o caso da briga do prefeito e vice, que nasceu sobre divergência sobre a veracidade de um diploma de uma comissionada.