Ao MP, comissionados dizem não aceitar rótulo de cabide de emprego

ComissionadosMPAlguns dos servidores comissionados da Prefeitura de Sorocaba, que devem ser exonerados após decisão liminar do Tribunal de Justiça, protocolaram nesta terça-feira (22) uma carta aberta ao 15º promotor de justiça de Sorocaba, Orlando Bastos Filho, que pediu a exoneração em ação pública.

No documento eles afirmam que não aceitam o título dado pelo promotor no processo de que a indicação seria moeda de troca e um cabide de emprego. Eles afirmam que não são políticos, mas profissionais com capacidade confirmada e reputação conhecida.

Os 84 profissionais que assinam a carta afirmam respeitar a justiça, mas frisam, “dignidade não se compra e não se vende, senhor promotor. Somos pessoas, cidadãos,  agentes de uma sociedade em transformação. Trabalhamos por aquilo em que acreditamos. E a despeito de toda a adversidade, seguiremos trabalhando. Isso ninguém a de nos tirar, jamais. Jamais”.

Sobre a carta, disse o promotor Orlando Bastos, segundo o Jornal Z Norte: “O judiciário já se pronunciou. Todos têm valor. Basta mostrar isso em concurso público com igualdade para todos”.