Após constatar que ventosas responsáveis por evitar rompimentos estavam condenadas, a equipe de prevenção do Saae solucionou a situação das adutoras que transportam toda água que abastece Sorocaba

O Saae-Sorocaba concluiu mais uma ação de reforço à segurança das três redes de dutos (adutoras), que transportam pela Serra de São Francisco, toda a água captada na represa do Clemente para o consumo da maior parte dos sorocabanos. A Equipe de Manutenção e Prevenção das Adutoras, criada pela atual administração, identificou que 19 ventosas estavam condenadas, algumas até enterradas, todas essas inoperantes. As ventosas são dispositivos instalados nas adutoras com a função de evitar o rompimento, nas eventuais situações de mudanças bruscas de pressão (transientes hidráulicos). As substituições foram providenciadas durante todo o mês de março pela própria equipe, reduzindo para R$ 16,5 mil o valor de todo o investimento.

O prefeito Crespo enfatiza que desde o início de seu governo recomenda a máxima atenção para preservar a integridade das adutoras. “As ações como essa demonstram que o Saae-Sorocaba está atento para aumentar a integridade e proteger os 14 kms de extensão desses dutos, cumprindo a nossa orientação de atender a população com muita qualidade”, avalia. O diretor-geral do Saae-Sorocaba, Ronald Pereira da Silva, explica que em atendimento a essa necessidade, criou no ano passado a Equipe de Manutenção e Prevenção das Adutoras e contratou uma engenheira para liderá-la no ininterrupto trabalho de inspeção e manutenção preventiva das adutoras e da segurança em seu entorno.

Durante as inspeções de averiguação das ventosas, foram encontrados dispositivos enterrados no solo ou sem caixas de proteção, totalmente inoperantes. O diretor Operacional de Água do Saae-Sorocaba, Marcelo Moretto, declara que a recomendação do próprio fabricante é que as inspeções sejam feitas anualmente, para sempre garantir a correta operação. “Agora estamos providenciando mais aquisições de ventosas para instalar em novos pontos, elevando ainda mais as ações preventivas de segurança das nossas adutoras”, anuncia Moretto.

O diretor Moretto explica que os transientes hidráulicos são as bruscas mudanças de pressão internas nas adutoras, que podem ocorrer em eventual e significativa alteração no nível da água armazenada na represa do Clemente, ou quando são feitas manutenções que exijam a interrupção do fluxo de água no interior das adutoras. Os riscos de rompimentos provocados pela pressão são reduzidos pelas ventosas, pois elas eliminam automaticamente para o ambiente externo, o excesso de água e pressão, garantindo a integridade das adutoras.

Criada há um semestre

A Equipe de Manutenção e Prevenção das Adutoras foi criada pelo Saae-Sorocaba no segundo semestre de 2017. Liderada pela engenheira Natália Prado Vieira, a equipe é composta por outros sete profissionais, todos eles atuando exclusivamente em rotineiras inspeções de pontos vulneráveis, como aqueles sobre córregos e vales, averiguação das condições de conservação em toda e extensão, e a realização de trabalhos corretivos e preventivos necessários. “A partir da criação dessa equipe elevamos a atenção para atender a todas as demandas das adutoras”, ressalta do diretor-geral, Ronald Pereira da Silva.

Além da contratação da engenheira e disposição exclusiva dos profissionais para esse trabalho, o Saae-Sorocaba também comprou duas caminhonetes zero quilômetro, com tração quatro por quatro, movidas à diesel e com cabines duplas para garantir agilidade no contínuo trabalho de vistoria de toda a rede. Agora as equipes chegam com bastante agilidade a pontos que antes eram difíceis de serem alcançados.

Essa mesma equipe também é a responsável pela limpeza diária do gradeamento de contenção de materiais grosseiros, no ponto de captação das adutoras, na represa do Clemente. Tal limpeza faz com que a aguá chegue mais limpa para o tratamento.

Inspeção de segurança

No final do ano passado uma empresa especializada inspecionou toda a infraestrutura construída nesse período e atestou a solidez. Diversos outros serviços para garantir mais segurança à rede estão em andamento. Um estudo averiguou as condições das adutoras e enumerou ações protetivas, que deram origem a um plano de ação.

Nos últimos 14 anos a autarquia contratou o lançamento de concreto, o escoramento com cabos de aço e esticadores a encosta em pontos acima das adutoras. Instalou também alambrado para absorver impactos de rochas que possam se desprender da encosta. O alambrado em aço flexível é utilizado no exterior para conter avalanches.

Durante esse período o Saae-Sorocaba também providenciou a construção de muros de proteção e valas de absorção de impacto de rochas, além de sistemas de drenagens superficiais e subterrâneas para evitar erosões. E ainda reforçou e recuperou as fundações das estruturas que sustentam as adutoras.

Comentários

Leia também