Após falta de banheiro químico em romaria, só resta chorar o leite derramado

4A falta de banheiros químicos no percurso da 116ª edição da Romaria de Aparecidinha, realizada no domingo (12 de julho), repercutiu no Jornal da Ipanema na manhã de segunda-feira, dia 13 de julho. Dezenas de ouvintes mandaram mensagens de wattapp e expressaram o pouco caso da prefeitura. Fiéis, organizadores e moradores da região reclamam do descaso das autoridades que não disponibilizaram sanitários.

A verdade é uma só: uma sucessão de erros levou a tal falha. O padre da paróquia de Aparecidinha, José Antônio, fez em tempo hábil nove solicitações a Prefeitura e o banheiro químico era uma delas. Oito solicitações (segurança, sinalização de trânsito, transporte…) foram atendidas. O quarto tópico era o banheiro. Em abril, o que se verificou foi que não havia licitação pronta para chamar a empresa que fornece o banheiro químico e o pedido dessa contratação foi endereçado à Secretaria da Administração, mas o pedido se perdeu no caminho e ninguém contratou a empresa, o resultado foi essa onda de reclamação. Para piorar, as partes envolvidas fizeram no dia 2 de julho uma reunião para ver se não faltava nada para a romaria do dia 12 e nem ai pegaram a falha.

Comentários

Leia também