Articulação de secretário da saúde evita greve dos médicos da Santa Casa (que cobram calote de mais de R$ 3 milhões) e abre sindicância para saber por que faltou o empenho desse recurso no orçamento feito pela administração passada

RodrigoMoreno

Uma articulação comandada por Rodrigo Moreno, agora devidamente efetivado no cargo de secretário da Saúde da Prefeitura de Sorocaba, ocorrida antes do encontro com os integrantes do Conselho Municipal de Saúde, no Salão de Vidro da Prefeitura, na noite de quinta-feira, evitou que os médicos da Santa Casa anunciassem o início de uma greve a partir da próxima segunda-feira. Os 200 médicos da Santa Casa têm a receber da Prefeitura a soma de R$ 3,336 milhões referentes aos meses de novembro e dezembro passados, portanto ainda sob a administração do prefeito Pannunzio.

Falando de maneira direta sobre o que aconteceu nesta quinta-feira: O Sindicato dos Médicos botou a faca no pescoço do Rodrigo Moreno ameaçando com paralisação caso não houvesse solução para esse pagamento pendente.

Diante desse quadro, Moreno chamou José Luís Pimentel, que é o gestor hoje da Santa Casa e foi o responsável pela requisição na época final do Pannunzio, e o colocou frente a frente com Eduardo Vieira, presidente do Sindicato dos Médicos para lavarem a roupa suja. E o tom foi quente: O sindicato acusou o Pimentel de não pagar os médicos, embora ele tivesse recebido repasses da Prefeitura. Pimentel disse que tinha outras demandas antes, mas que também pagou os médicos. Vieira reconheceu, disse que é verdade, mas enfatizou que hospital nenhum funciona sem médico e, por isso, deveriam ser os primeiros a serem pagos e a prioridade foi para outros funcionários.

Depois dos dois “brigarem” bastante, Rodrigo Moreno chamou Pimentel e Vieira e disse: o que tenho para dizer é que por ordem do prefeito Crespo vamos pagar os médicos e também investigar porque não foi pago antes. Os culpados terão de responder por isso.

A reunião teve outro aspecto interessante porque Pimentel e os médicos da Santa Casa estavam sem se falar. Foi rompido o isolamento e ferente a frente todos se viram obrigados a falar.

Por sugestão de Eloy de Oliveira, secretário das Comunicações, direção da Santa Casa e médicos foram para a imprensa falar que haviam feito um acordo e que a Prefeitura ia pagar. Os dois foram para a TV TEM e falaram.

Quando chegou a reunião à noite, tudo estava apaziguado, frustrando a proposta do sindicato de deflagrar a greve na reunião do Conselho da Saúde. Com tudo isto, a vereadora Iara Bernardi (PT) e o vereador Renan Santos (PC do B), além de outros da oposição, perderam o palco para se manifestar. O ex-vereador Izídio de Brito (PT) chegou a elogiar o prefeito.

Enfim, por isso afirmo que essa foi uma vitória da habilidade de gestor de Rodrigo Moreno, que foi coroada com a efetivação no cargo pelo prefeito em plena reunião.