Assinado o contrato que trará dinheiro para obras de viaduto e marginal

O contrato do segundo empréstimo que a Prefeitura de Sorocaba faz junto ao CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), no total de US$ 70 milhões, foi assinado hoje no gabinete do prefeito Crespo. O dinheiro virá por etapa, ou seja, não todo de uma vez e a cada etapa ele chega com a cotação do dia do dólar. Fosse hoje, o empréstimo significaria algo em torno de R$ 260 milhões, fosse há um mês, algo em torno de R$ 320 milhões.

O primeiro empréstimo foi feito na gestão do então prefeito Vitor Lippi e esse segundo havia sido solicitado na gestão no ex-prefeito Pannunzio, sem que ele tivesse tido sucesso em conseguir sua aprovação junto ao governo federal.

Foram ações do atual governo, de bastidores, que contou com apoio expressivo do deputado federal Jefferson Campos (reeleito para novo mandato domingo passado) e do ministro das Relações Exteriores, Aloisio Nunes Ferreira, que é do círculo de amizade pessoal de Flávio Chaves, secretário de Relações Institucionais da Prefeitura de Sorocaba, que deram o empurrão para que o Senado brasileiro liberasse esse empréstimo, fato ocorrido há 3 meses. Entre a aprovação do empréstimo e a assinatura do contrato, hoje, foram preenchidos todos os documentos que garantem a chegada do dinheiro a Sorocaba e o pagamento desse empréstimo ao longo dos próximos anos.

 

Onde será gasto o dinheiro

O contrato tem as assinaturas do prefeito Crespo, do diretor representante no Brasil do CAF – Banco de Desenvolvimento da América Latina, Jaime Holguín, e da representante do governo federal, Procuradora da Fazenda Nacional, Suely Dib de Sousa e Silva.

O projeto apresentado por Sorocaba, aprovado por unanimidade no Senado, em Brasília, tem como objetivo ampliar a infraestrutura urbana, de transportes e a implantação de parque linear com espaços públicos para lazer, garantindo acessibilidade, segurança, eficiência, qualidade de vida, e dinamismo econômico, além inclusão social e preservação do meio ambiente.

Entre as obras estão a construção da avenida Marginal junto ao córrego Itanguá (Rua Luiz Mendes de Almeida até a Estrada Adão Pereira de Camargo, inclusive ponte sobre o córrego na Avenida Américo Figueiredo), um viaduto sobre a Avenida Itavuvu ligando as Avenidas Edward Fru-Fru Marciano da Silva com Avenida Ulysses Guimarães, construção de nova ponte sobre o Rio Sorocaba ligando a Rua 15 de Novembro com a Avenida São Paulo, um viaduto de ligação da Avenida Fernando Stecca com avenida Independência e outro do viaduto de ligação da Avenida Ipanema com a Rua José Joaquim Lacerda.

Qualidade do contrato

Jaime Holguín, segundo a assessoria do prefeito, enfatizou a qualidade das ações propostas no contrato, que trabalham a abordagem do desenvolvimento integral urbano, com projetos complementares e que buscam a melhoria da qualidade de vida para todos os moradores do município. “Obras de infraestrutura com enfoque ambiental são comprovadamente benéficas para todos e este programa trata dessa temática de uma maneira eficiente e moderna, de acordo com os melhores padrões de práticas dessa natureza”, afirmou.

O prefeito Crespo, segundo sua assessoria, enfatizou que a mobilidade urbana é um dos grandes desafios para melhorar a qualidade de vida da população e, a assinatura desse contrato com a CAF representa um grande passo para o desenvolvimento do município promovendo mobilidade, acessibilidade e a circulação das pessoas com segurança e conforto, de forma sustentável. “Essas obras vão resultar em mais qualidade de vida em todos os sentidos para quem vive em Sorocaba” destacou.

O prefeito também ressaltou o trabalho de sua equipe. “A assinatura desse contrato só foi possível com muita dedicação e trabalho de toda a nossa equipe. Todos trabalharam muito na elaboração desse programa e a assinatura com um organismo internacional como o CAF reforça a credibilidade da gestão e a qualidade técnica da equipe da Prefeitura de Sorocaba”, completou.

Sorocaba é nível “A”

Sorocaba é classificada como nível “A” na análise da capacidade de pagamento (CAPAG) do Governo Federal, ou seja, um “bom pagador” na avaliação do Ministério da Fazenda possibilitando o acesso a empréstimos com juros mais baixos, por contar com a União como seu garantidor.

A classificação nível “A” no CAPAG é o principal índice analisado pela Caixa Econômica Federal (CEF) e por outros agentes de fomento na hora de conceder um empréstimo, influenciando também na velocidade com que esses empréstimos são liberados. A classificação é determinada a partir de indicadores de endividamento, poupança corrente e liquidez que podem receber conceitos “A”, “B” ou “C”. Já o indicador de liquidez teria apenas as notas “A” ou “C”. A combinação dos três indicadores resultará na nota do ente (CAPAG), que poderá ser “A”, “B”,”C” ou “D”.

Comentários

Leia também