Aumenta a procura do sorocabano por apoio emocional no CVV e a explicação é a crise econômica

São diferentes indicativos que demonstram a gravidade da crise econômica pelo qual passa o Brasil, fruto de impasses político, institucional e moral. Esses indicativos começam pelo número de estabelecimentos comerciais fechados, por desânimo dos empresários e pelas demissões dos empregados. Mas um outro dado, bastante significativo no meu entender, explica bem o sentimento do sorocabano frente a este momento de instabilidade: o crescente números de atendimentos telefônicos de pessoas pedindo uma ajuda e um conforto emocional realizados no CVV (Centro de Valorização da Vida) de Sorocaba. Em 2014, foram feitas aproximadamente mil ligações; em 2015 essas chamadas telefônicas subiram para cerca de 1.200 pessoas e apenas nos três primeiros meses de 2016 essas chamdas alcançaram 1.500 pessoas atendidas até agora. Os dados são do coordenador de Divulgação do CVV de Sorocaba, Alcebíades Alvarenga. Segundo ele, “esse crescimento no número de buscas por apoio emocional foi ocasionado principalmente por causa da crise econômica que aumentou o número de pessoas desempregadas na cidade. Isso gerou um abalo muito forte na confiança dessas pessoas, principalmente porque a maioria possuía dependentes em casa”.

Há mais de 30 anos o CVV presta em Sorocaba um serviço em prol da saúde pública por meio do apoio emocional e combate ao suicido de forma totalmente gratuita . O contato pode ser realizado através dos telefones (15)3232.4111 ou 141, além do atendimento online via Skype, e-mail, chat diretamente pelo site da entidade (www.cvv.org.br) ou pessoalmente em sua sede, à rua Dr. Nogueira Martins, 334, no Centro.