Boa notícia: Homenagem a compositor sertanejo de raiz lota o teatro

WKArtistas sorocabanos cantam e tocam junto de Léo no Teatro Municipal de Sorocaba que fez dupla com seu irmão Liu ( já falecido)

A Secretaria da Cultura de Sorocaba, comandada por Werinton Kermes, promoveu homenagem a uma das mais relevantes duplas da música sertaneja raiz, os irmãos Liu & Léo, dentro da programação da Semana do Tropeiro. A discografia dos irmãos (que ao longo da carreira gravaram mais de 30 discos, 17 CD’s e foram indicados ao Grammy Latino em 2003) foi tocada por artistas locais na noite de quinta-feira (25/05) e emocionou Léo, presente no evento e que anteriormente recebeu homenagem na Câmara Municipal de Sorocaba, proposta pelo vereador Fernando Dini. Liu faleceu em 2012.

Para o espetáculo musical, que teve direção artística de Flávio Melo, as duplas Teodoro & Alvaninho, Luiz Fernando & Gabriel, Dalan & Bueno e a Orquestra de Viola Caipira São Gonçalo apresentaram canções que fizeram sucesso na voz de Liu & Léo.

Para o secretário de Cultura e Turismo de Sorocaba, Werinton Kermes, essa homenagem, dentro da Semana do Tropeiro, é para reforçar a cultura caipira da região, reconhecer o feito desses artistas ao disseminá-la para outros cantos, e apresentar às novas gerações todo esse legado. “Nesse momento em que reverenciamos nossa cultura caipira, nada mais justo do que homenagear àqueles que a propagaram”.

Ligação com Sorocaba e música raiz

“Caipira que toca música sertaneja”, como se autodefine, Léo entende a homenagem como um reconhecimento às lutas travadas pela dupla para conseguir sobreviver há mais de cinquenta anos tocando música raiz. “E nunca imaginei que receberia uma homenagem assim de uma cidade como Sorocaba, que já tocamos tanto e em tantos momentos e sempre nos encheu de felicidade”, recorda o artista, puxando pela memória apresentações principalmente nos circos, como o  Guaraciaba. “Ainda quero ver novamente um espetáculo de circo-teatro. Sinto tanto saudade daquele tempo, daquela arte pura”. Ao saber que os artistas do Circo Guaraciaba ainda estão em atividade, Léo se emocionou e, mais uma vez, ovacionou as ações da cidade e região na manutenção da cultura regional.

Para o artista de 80 anos, o reconhecimento hoje (midiático e financeiro) de duplas que levam a alcunha de sertanejas seria algo difícil de imaginar lá no começo de sua carreira, quando principalmente as mídias ignoravam a existência da obra dos sertanejos. No entanto, entende que toda aquela dificuldade ajudou a mantê-los dentro de uma essência mais singela e pura do sertanejo raiz, que busca sua inspiração nas coisas simples da vida. “Não existe música caipira, existe musica sertaneja e existe o caipira que canta a música sertaneja, como eu, no caso. Normalmente nossas músicas contam uma história, tem começo, meio e fim, falam ou de amor ou de tragédia, mas têm um conteúdo, e isso é gostoso de ouvir”, conclui o artista.