Borboleta bateu asas em 2014 e atinge Sorocaba em 2019

Não tem quem não tenha ouvido a expressão que o bater de asas de uma simples borboleta pode influenciar o curso natural das coisas e, assim, talvez provocar um tufão do outro lado do mundo.

Esse é o princípio mais elementar da Teoria do Caos, um campo de estudo da Matemática, com aplicações em várias disciplinas, incluindo Física, Engenharia, Economia, Biologia, Filosofia.

A Teoria do Caos trata de sistemas complexos e dinâmicos rigorosamente deterministas, mas que apresentam um fenômeno fundamental de instabilidade chamado sensibilidade às condições iniciais que, modulando uma propriedade suplementar de recorrência, torna-os não previsíveis na prática a longo prazo.

Isso explica muita coisa: por que as casas inundam no Parque das Águas em Sorocaba quando chove muito, ou a própria avenida Dom Aguirre, ou o Parque Vitória Régia.

Explica, igualmente, por que residências ficam sem água em suas torneiras em dias de muito calor e estiagem de longo prazo como as que Sorocaba (e o sudeste de um modo em geral) está sofrendo neste 2019.

Enfim, a Câmara de Vereadores votou e aprovou o novo Plano Diretor de Sorocaba em 2014 e nele passou a ser permitido novos empreendimentos tipo o que a Real  Imobiliária S.A quer fazer, o Loteamento Misto Ecivitas Smart City a ser implantado em oito fases com projeção para 7.765 lotes que abrigarão 39.492 pessoas – número maior do que o da população de 9 das 27 cidades da Região metropolitana de Sorocaba.

Está claro então? A borboleta bateu asas em 2014 (quando tal lei foi aprovada) e a consequência está aparecendo agora (medo que tal nova cidade nasça e falte água).

O BRT (Sistema de Ônibus Rápido) fez parte do debate da eleição de 2012. Sim, de sete anos atrás entre Pannunzio e Renato Amary. As obras estão em curso agora e somente agora as pessoas estão reclamando. Foram audiências, projetos, assinaturas de contratos e agora as pessoas reclamam das obras? Onde estavam todos? Dormindo? Alguém já viu obra que não causa transtorno?

Quando as pessoas vão se organizar para reclamar antes do problema?

Não estou falando em adivinhação, longe disso. É envolvimento.

Posso assegurar que os 20 vereadores de 2014, aqueles que aprovaram o Plano Diretor que permite um empreendimento com 40 mil novos moradores (de algum lugar essa gente virá, certo?), mais os seus 100 assessores (sim, são 5 para cada um dos vereadores), todos eles sabiam muito bem o que estavam aprovando. A borboleta (ou seja, o vereador) não bate asa (não assina) por acaso. Ela (ele) tem uma intenção voar (voar), pois é o seu instinto (seu instinto).

Preocupada com a água, que no momento é o que está aos olhos de todos (mas e a mobilidade, o atendimento médico, a creche, a educação, o lazer…?) representantes de organismos da sociedade civil, na cidade e na região, participaram de audiência pública convocada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente.

A empresa disse: “é um projeto inovador que tem uma única fonte de inspiração… as pessoas”.

O representante da Associação de Moradores do Piazza Di Roma, que é assessor da vereadora do PT, criticou: “a Zona Oeste neste momento está sem água.”

O líder comunitário da Associação de Moradores da Zona Leste, perguntou: “Onde é que vamos arrumar água?”

O presidente da Associação Comercial de Sorocaba, empresário, decretou: “Chega de ilusão.”

A ambientalista da ONG SOS Itupararanga e do Conselho Gestor da Área de Proteção Permanente de Itupararanga, refletiu: “Que garantia nós temos de que vai ter água para todo mundo!”

A Real  Imobiliária S.A estudou a lei e será difícil barrar o Loteamento Misto Ecivitas Smart City se a lei for cumprida. Ainda bem. O mínimo que se espera de um país sério é que exista segurança jurídica. Por isso, repito, fiscalizem quem faz a lei. Escolham bem. E, principalmente, financiem bem quem vocês querem ver legislando. Um poder muito poderoso, muito mais do que o Executivo e o Judiciário. E a história está mostrando isso localmente e nacionalmente.

Comentários

Leia também