Brasil tem 208 milhões de habitantes; Sorocaba, 671 mil; e RMS, 2 milhões

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) divulgou na manhã de hoje as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros, com data de referência em 1º de julho de 2018. Estima-se que o Brasil tenha 208,5 milhões de habitantes (com taxa de crescimento populacional de 0,82% entre 2017 e 2018), sendo que exatos 671.186 habitantes formam a população de Sorocaba e 2.120.500 habitantes moram nas 27 cidades da Região Metropolitana de Sorocaba.

Em 2018, pouco mais da metade da população brasileira (57,0% ou 118,9 milhões de habitantes) vive em apenas 5,7% dos municípios (317), que são aqueles com mais de 100 mil habitantes.

Os municípios com mais de 500 mil habitantes (46) concentram 31,2% da população do país (64,9 milhões de habitantes). Por outro lado, a maior parte dos municípios brasileiros (68,4%) possui até 20 mil habitantes e abriga apenas 15,4% da população do país (32,1 milhões de habitantes).

Maior cidade

O município de São Paulo continua sendo o mais populoso do país, com 12,2 milhões de habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (6,7 milhões de habitantes), Brasília e Salvador (cerca de 3,0 milhões de habitantes cada). Dezessete municípios brasileiros têm população superior a 1 milhão de pessoas e, juntos, eles somam 45,7 milhões de habitantes ou 21,9% da população do Brasil. Serra da Saudade (MG) é o município brasileiro de menor população, 786 habitantes, seguido de Borá (SP), com 836 habitantes, e Araguainha (MT), com 956 habitantes.

Menor cidade

Serra da Saudade (MG) é o município brasileiro com menor população, estimada em 786 habitantes em 2018, seguido de Borá (SP), com 836 habitantes, e Araguainha (MT), com 956 habitantes. Esses três municípios eram os únicos no país com menos de mil habitantes em 01/07/2018.

Sudeste mais populoso

No ranking dos estados, os três mais populosos estão na região Sudeste, enquanto os cinco menos populosos estão na região Norte. O líder é São Paulo, com 45,5 milhões de habitantes, concentrando 21,8% da população do país. Roraima é o estado menos populoso, com 576,6 mil habitantes (0,3% da população total).

Entenda o cálculo

As estimativas da população residente para os municípios brasileiros, com data de referência em 1º de julho de 2018, foram calculadas com base na Projeção de População (Revisão 2018) divulgada em 25/07/2018. Essa revisão incorporou os imigrantes venezuelanos no estado de Roraima, dos quais 99% estavam concentrados nos municípios de Boa Vista e Pacaraima.

As populações dos municípios foram estimadas por um procedimento matemático e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos municípios. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010). As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais municipais ocorridas após 2010.

Por que saber a população

As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos. Esta divulgação anual obedece ao artigo 102 da Lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013.

Cidades com mais de 1 milhão de habitantes

São Paulo (12.176.866); Rio de Janeiro (6.688.927); Brasília (2.974.703); Salvador     (2.857.329); Fortaleza (2.643.247); Belo Horizonte (2.501.576); Manaus (2.145.444); Curitiba (1.917.185); Recife (1.637.834); Goiânia (1.495.705); Belém (1.485.732); Porto Alegre (1.479.10); Guarulhos (1.365.899); Campinas (1.194.094); São Luís (1.094.667); São Gonçalo (1.077.687); Maceió (1.012.382), totalizando 45.748.378 de habitantes, 21,9% da população.

Cidades com mais de 500 mil de habitantes

Duque de Caxias (914.383); São Bernardo do Campo (833.240); Nova Iguaçu (818.875); Santo André (716.109); São José dos Campos (713.943); Jaboatão dos Guararapes (697.636); Osasco (696.850); Ribeirão Preto (694.534); Uberlândia (683.247); Sorocaba (671.186); Contagem (659.070); Feira de Santana (609.913); Joinville (583.144); Aparecida de Goiânia (565.957); Juiz de Fora (564.310); Londrina (563.943); Ananindeua no Pará (525.566); Niterói (511.786); Belford Roxo (508.614); Serra (507.598); Caxias do Sul (504.069); Campos dos Goytacazes (503.424), totalizando 17.685.077, ou seja, 8,5% da população.

Região Metropolitana

Entre as Regiões Metropolitanas e Regiões Integradas de Desenvolvimento (RIDES), a região metropolitana de São Paulo é a mais populosa, com 21,6 milhões de habitantes, seguida pela do Rio de Janeiro (12,7 milhões de habitantes), pela de Belo Horizonte (5,9 milhões de habitantes), e pela Região Integrada de Desenvolvimento (RIDE) do Distrito Federal e Entorno (4,3 milhões de habitantes). Ainda entre as Regiões Metropolitanas ou RIDES, 28 possuem população superior a 1 milhão de habitantes e somam 98,7 milhões de habitantes, representando 47,3% da população total.

Região Metropolitana de Sorocaba

A população total da Região Metropolitana de Sorocaba é de 2.120.500 habitantes divididos assim nas 27 cidades:

Sub-Região 1: Alambari (5.918), Boituva (59.793), Capela do Alto (20.419), Cerquilho (48.074), Cesário Lange (17.915), Jumirim (3.315), Sarapuí (10.177), Tatuí (120.533), Tietê (41.622) e Itapetininga (162.231);

Sub-Região 2: Alumínio (18.484), Araçariguama (21.854), Ibiúna (78.262), Itu (172.268), Mairinque (46.852), Porto Feliz (52.785), Salto (117.561) e São Roque (89.943);

Sub-Região 3: Araçoiaba da Serra (33.499), Iperó (36.280), Piedade (55.149), Pilar do Sul (28.963), Salto de Pirapora (44.972), São Miguel Arcanjo (32.859), Sorocaba (671.186), Tapiraí (7.850) e Votorantim (121.736).

“Como se pode notar em pouco tempo de criação, a Secretaria de Relações Institucionais e Metropolitanas mostrou-se empenhada em suas metas e objetivos até o momento e revela-se com grandes avanços na região metropolitana com o intuito de fomentar o crescimento da região”, afirma o secretário Flávio Chaves, titular da pasta de Relações Institucionais e Metropolitanas da Prefeitura de Sorocaba.

Comentários

Leia também