Candidatos a prefeito de Sorocaba saem do personagem e mostram a essência do que são, pensam e fazem em debate de clima quente na rádio Ipanema

CrespoIpaRaulipaJLipaGlauberIpaHGipa

Uma semana depois do início do horário eleitoral gratuito de Rádio e TV e de dois debates (Cruzeiro do Sul e Uniso/Band) os cinco candidatos a prefeito de Sorocaba subiram o tom de suas colocações durante o debate do Jornal e Rádio Ipanema (FM 91,1Mhz) ocorrido na noite de quinta-feira (01/09/2016) no plenário da Câmara de Vereadores. Ficou de lado, enfim, nessa eleição, o clima de “comercial de margarina”, onde todas as famílias são felizes, e de paz e amor, onde cinco candidatos se comportavam como se fossem iguais. Cada mostrou o que pensa das questões nacionais e municipais. Os candidatos foram levados à mostrar coerência e que têm lado. Foram seis momentos marcantes e que revelam muito sobre a personalidade não apenas de quem pergunta, mas de quem responde. A plateia, apaixonada, vibrou e viveu o verdadeiro clima eleitoral. Veja os momentos marcantes:

Glauber Piva x Hélio Godoy

O candidato do PT (Piva), em troca de pergunta com o candidato da coligação Construindo um Novo Tempo (Godoy), disse que vai cortar o salário do prefeito pela metade, vai cortar cargos de confiança, vai fazer uma gestão mais eficiente na Prefeitura de Sorocaba. Colocação neutra que deixou na decisão de Godoy o tom a ser dado. E não tom não apenas do seu pensamento, mas daquilo que acabou sendo o debate. Godoy foi na jugular de Piva dizendo que ele é do PT, partido criador de cargos. Ou seja, Piva discursa que vai cortar, mas faz parte de um partido que fez exatamente o contrário.

Crespo x João Leandro

O candidato da coligação Renasce Sorocaba (Crespo) fez uma colocação ao candidato da coligação Juntos Por Sorocaba (João Leandro) com severas críticas ao governo Pannunzio. Tal afirmação obrigou João Leandro a se posicionar e assim ele fez com entonação e ênfase como até então não havia feito nessa campanha e disse do seu orgulho de fazer parte de um governo ético e responsável como é Pannunzio. Na campanha, seja de rádio e tv ou material impresso, João Leandro fez uma opção única por Vitor Lippi o que tem levado muita gente a interpretar mal esse comportamento, julgando que ele quer esconder sua origem e o seu lado que é o de fazer parte do governo Pannunzio que, em pesquisas Ibope e Ipeso, está desaprovado. Além de assumir seu lado, João Leandro ainda cobrou coerência de Crespo que fez parte do governo Pannunzio de 1992 e agora crítica e que fez severas críticas a Renato Amary em 1996 e 200 e hoje só faz elogios. E deixou no ar que Crespo se comporta de acordo com os interesses.

Crespo x Raul Marcelo

O candidato da coligação Renasce Sorocaba (Crespo) fez um pergunta absolutamente aberta sobre questões envolvendo o saneamento ao candidato do PSOL. Parecia mais um convite a trocas de gentilezas, conversa de comadres. Raul Marcelo teve a chance (como já havia ocorrido no debate do Cruzeiro do Sul) de manter esse clima de paz e amor. Mas preferiu subir o tom lembrando que Crespo faz parte do DEM e o o DEM faz parte da sustentação do governador de São Paulo, Alckmin, que vem provocando destruição em diversas áreas do estado. Ou seja, deixou evidente que são candidatos antagônicos, diferentes , e que não cabe deixar isso de lado.

Hélio Godoy e Crespo

O candidato da coligação Construindo um Novo Tempo (Godoy) se dirigiu ao candidato da coligação Renasce Sorocaba (Crespo) como ele sendo da situação. Lembrou que foi do governo Pannunzio e que quis dar título de cidadão sorocabano a João Leandro (PSDB). Crespo, sendo mais Crespo do que nunca nesta campanha, usou de sua verve irônica para dizer que Godoy só podia estar abduzido por achar que ele era situação e não oposição a Pannunzio. Crespo disse que acahava que Lippi havia sido o pior prefeito da história de Sorocaba, mas que Pannunzio superou e está sendo ainda pior. Godoy insistiu que na campanha Crespo mudou de lado, mas que é sim candidato da situação. Crespo reagiu ainda mais irônico e falou que além de abduzido por um extra-terrestre Godoy era surdo e não havia entendido o que ele havia dito e que ele ia desenhar.

Hélio Godoy e Raul Marcelo

O candidato da coligação Construindo um Novo Tempo (Godoy) se dirigiu ao candidato se dirigiu a Raul Marcelo e lembrou que nos seis dele como vereador fez apenas 2 projetos de lei e que não tem experiência para governar Sorocaba. Raul elevou ainda mais o tom e disse que não tem a experiência de Godoy de sair pelas portas dos fundos do serviço público quando foi demitido por Pannunzio. Godoy rebateu que ele não tem noção de orçamento e que ele é da base de apoio da presidente Dilma, que teve o impeachment devido aos desmandos do Brasil. Raul disse que acredita na democracia e em político que assume cargo pelo voto e que quem apoia um governo golpista é Godoy cujo o presidente nacional do partido virou ministro de Temer. Falou que Godoy e seu partido gostam de agir pelas portas do fundos.

Glauber Piva e João Leandro

O candidato do PT classificou de nefasto o projeto de BRT do governo Pannunzio, que vai endividar em R$ 2 bilhões a prefeitura cobranço do usuário tarifa de R$ 4,30, e quis saber do candidato da coligação Juntos Por Sorocaba (João Leandro) se o BRT será levado adiante. João Leandro deu o tom ao dizer que Piva é desinformado, e usa dados que não são verdadeiros e chamou a atenção para o fato de que neste embate estavam dois estilos, o dele e o de Glauber que é o de afirmar que o que o PT faz é bom e o que soutros fazem é ruim.

Experiência e Preparo emocional

Os candidatos João Leandro, Hélio Godoy e Glauber Piva tinham um foco claro, o de mostrar ao eleitor que Crespo não tem preparo emocional e Raul Marcelo não tem experiência, ou seja, os dois líderes nas pesquisas. Os cinco, seja falando de propostas ou revelando a incoerência do comportamento do concorrente, conseguiram neste debate da Ipanema, ao sair do personagem que vinham desempenhando, despertar no eleitor o sentimento que são dignos da confiança dele na hora do voto.

Que essa seja toada da campanha eleitoral daqui para a frente.