Clima dessa última semana antes da eleição (onde Raul Marcelo do PSOL ameaça a liderança de Crespo do DEM) é similar a última semana da eleição de 1992 quando Hamilton Pereira do PT (o novo) ameaçava a eleição de Paulo Mendes do PMDB (a tradição)

deda

Não se tratou de previsão, algo mágico, minha afirmação de que a eleição de fato começaria neste 2º turno após o resultado da pesquisa Ibope/TV Tem divulgada na segunda-feira passada. Se tratou, sim, de uma conclusão lógica. Tivesse, como era o senso comum, Crespo bem na frente caberia a Raul Marcelo mudar a sua estratégia. Estando os dois empatados tecnicamente, o que deixa incerto quem poderá ser o escolhido, grupos dos dois lados saíram para guerrear. Até o momento, o mundo real, das ruas, não registrou nenhum conflito ou agressão entre grupos rivais. Mas na internet a situação beira já a baixaria.

O tom de reação ao crescimento de Raul Marcelo partiu do empresário Flávio Amary, que deixou claro que falava como cidadão e não como dirigente de classe, já que preside o Secovi-SP. Sua colocação era de medo, de que a ideologia de Raul Marcelo, uma vez prefeito, pudesse alterar a relação tradicional entre poder público e empreendedores.

O grupo de Raul Marcelo não ficou atrás e foram centenas de manifestações com listas de 10, 15 e 20 tópicos para não se votar em Crespo. O medo é que tudo fique igual está sendo Crespo eleito prefeito.

O deputado federal, pastor Jeferson Campos, do PSD que apóia Crespo, já deu a dica de que as igrejas evangélicas, neste final de semana, vão exibir vídeos com mensagem do senador Magno Malta, o mais influente nas redes sociais segundo pesquisa que atesta o nível de penetração dos membros do senado brasileiro na internet, detonando o PSOL.

No whattsApp, um vídeo de medo: uma atriz falando sobre os pronunciamentos de Raul Marcelo na tribuna da Assembléia Legislativa, onde é deputado, defendendo professor que usou a sala de aula, segundo o texto da atriz, para promover o Fora Temer (manipulação ideológica na argumentação dela) e até mesmo enaltecendo a facção criminosa PCC pelo trabalho social que faz dentro dos presídios. Aliás, tema de pronunciamento de Roberto Jefferson, aquele que quando deputado delatou José Dirceu e o que ficou conhecido como mensalão do PT, para a rádio Jovem Pan de São Paulo, dizendo que o PSOL defende o PCC.

No horário eleitoral, Raul Marcelo usou gravação, que a justiça classificou como falsa, para acusar Renato Amary, principal apoiador de Crespo, de ficha suja. Como era gravação falsa, ele perdeu 26 inserções da propaganda de TV o que chamou a atenção de eleitores que, inclusive, telefonaram na rádio para saber o que havia acontecido.

Na hora do almoço de hoje, apenas duas horas após o final do debate entre Crespo e Raul Marcelo na rádio Cacique (AM 1060Mhz), um meme dizendo que Raul Marcelo vai pegar o terreno das pessoas para fazer hortas comunitárias e moradia popular inundou diferentes grupos. Claramente uma distorção do que quer que seja que Raul tenha dito no debate.

O fato é que esse clima só vai piorar ao longo dessa última semana.

Situação idêntica ao que aconteceu na eleição municipal de 1992. Naquele ano, Renato Amary ficou em último. Crespo, que era candidato de Pannunzio ficou em terceiro, assim, aliás, como seu candidato (João Leandro) também ficou em terceiro neste ano. Foram ao 2º turno Paulo Mendes (que representava a tradição política de Sorocaba) e Hamilton Pereira (que representava o novo). Exatamente a mesma situação de agora onde Crespo representa a tradição e Raul Marcelo o novo. Assim como em 1992, onde o clima de terror por Sorocaba ter um governo de esquerda se tornou predominante na última semana de campanha, neste 2016, em pleno século 21, o mesmo medo passa a tomar conta. A diferença é que de 1992 para cá o Brasil experimentou 13 anos de um governo de esquerda no Brasil e em centenas de cidades brasileiras. Será que cola essa tática?

O fato é que Raul Marcelo se mantém fiel à sua estratégia de somente debater propostas e Crespo, mesmo sem perceber, abandonou a sua estratégia de falar em quem é o mais preparado, quem tem grupo, quem tem relações fora de Sorocaba, quem tem sorocabano para nomear para o secretariado.

No campo das ideias, claramente, Raul Marcelo já venceu. Resta saber se terá força para também vencer na urna que é, afinal, o que vale num processo eleitoral.

Legenda da foto

Imagem do debate de 1992 na TV Metropolitana na eleição para prefeito de Sorocaba. A foto de é Adival B. Pinto e faz parte do arquivo do jornal Cruzeiro do Sul de livre acesso na internet. Renato Amary e Crespo (à esquerda) perderam no 1º turno. Paulo Mendes e Hamilton Pereira foram ao 2º turno e o clima foi o mesmo vivido hoje por Raul e Crespo.