Como eu estou exausto!

Estou tão exausto. Um cansaço sem explicação. Uma tristeza. Um sentimento de estar sozinho…

E não é por causa da pandemia que vivo isso. É a política.

Vejam esse exemplo:

Sexta-feira passada, num grupo do qual faço parte, alguém publicou a foto acima e alertou se tratar de “família nova catando sucata. Pela vestimenta vê-se que é gente…” Um outro observou: “Arrumadinhos. Vamos ajudá-los”. E um outro falou: “Caridade é primordial, principalmente pra alívio da alma do caridoso. Mas a situação melhora muito com boas escolhas políticas e econômicas”.

Num outro grupo, alguém postou um vídeo de um senhor falando maravilhas do atual governo. Perguntei quem era aquele cara e me disseram: Nelson Piquet. Fiquei pensando em que planeta ele vive.

Um amigo, promotor de justiça, usa a frase conhecida “isso a Globo não mostra” para informar que as contas públicas do governo federal fecharam no azul em 2021. E pessoas queridas curtiram, celebraram, comemoram….

Essa gente que cultua o bozoismo (a cultura do Bolsonaro) não faz ligação entre as contas no azul e a “família arrumadinha” catando sucata. Os cultuadores do bozoismo não entendem que a conta, para fechar no azul, foi paga por “gente”. Não entendem que governo não é empresa que precisa fechar no azul para dar o lucro ao dono da empresa.

Evidentemente que o ideal não é governo algum subsidiando a conta de ninguém, nem de quem precisa. Mas o mundo não é ideal, é real. E governo existe para fazer escolhas políticas que impulsionem a economia a ponto de dar oportunidade a todos: empreendedores, trabalhadores, empresários.

Esse culto a pessoa, seja Lula ou Bolsonaro, tratando-os como santo ou mito, só vai alimentar essa tristeza. Esse sentimento de exaustão.

Chega de populismo”!

O Brasil precisa avançar por suas leis, sistemas, representações independentemente da personalidade que esteja ocupando o cargo de comando.

Comentários

Leia também