Comportamento de aliados coloca pressão sobre a viabilidade do pré-candidato a prefeito do PMDB. Ele me diz que “o impossível demora um pouquinho mais”

O comportamento dos últimos dias de aliados do pré-candidato a prefeito pelo PMDB, Renato Amary, coloca mais pressão sobre um tema que surgiu quando as eleições municipais de outubro voltaram à pauta: ele vai conseguir viabilizar o registro? Ele pode ser candidato?

Primeiramente coube ao vereador Crespo (DEM), aliado de Renato Amary desde a eleição de 2012, divulgar nota de que seus eleitores gostariam que ele se candidatasse a prefeito e não a vereador. Há, ainda, quem diga que Crespo já teria dito a interlocutores de sua confiança, em uma reunião em São Paulo, de que ele será candidato a prefeito em outubro próximo. Quando perguntado, porém, Crespo afirma que Renato Amary é o seu candidato a prefeito.

Depois foi a vez do deputado federal Jéferson Campos, que comanda o PSD em Sorocaba, sinalizar que está disponível para conversar e já teve encontros com o pré-candidato doampos, que comanda o PSD em Sorocaba, a sinalizar que estnie que seus eleitores gostariam que ele se candidatasse a prefeito e  PEN (Laerte Moleta), do PRB (Hélio Godoy) e do PSDB (João Leandro). A todos, Jeferson afirmou que a situação do registro da candidatura de Renato Amary está difícil e o PSD, aliado do PMDB, pode caminhar com outro partido.

O PP, que também já tinha feito a opção de caminhar com Renato Amary nesta eleição, também mudou. Um colega, da assessoria do deputado federal Guilherme Mussi, me conta que a situação do Renato está quase impossível. Coincidência, nesta semana, Guilherme Mussi (que possui fazenda em Capão Bonito e conhece bem a região) foi visto tomando café com João Leandro, pré-candidato do PSDB, na padaria Real. Perguntei a João Leandro sobre a conversa e ele disse que foi contato normal que ele tem feito com partidos para se juntarem na caminhada de outubro. Quando perguntei sobre a situação de Renato Amary, ele me falou que não faz comentários sobre outras candidaturas e respeita o caminho de cada um nesta eleição.

Convidei Renato Amary a me conceder uma entrevista para tratar de toda essa nova carga de pressão sobre sua candidatura. Nova porque desde que é pré-candidato essa dúvida sobre sua candidatura está presente. Ele já esteve na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) e foi categórico em dizer que será candidato. Nesta semana, também na rádio, o advogado Lázaro Paulo Escanhoela, que foi advogado de Renato em 2012, afirmou que a situação dele é a mesma de 2012 quando passou a eleição sendo questionado e no fim, no Superior Tribunal Eleitoral, teve o registro de candidatura liberado. Mas diante desses novos fatos, porém, Renato Amary deixou claro que prefere não falar mais do assunto neste momento e me enviou uma mensagem no whattsapp: “Deda, obrigado pelo convite. Aprendi que o impossível demora um pouquinho mais. Abraço. Renato.”