Conselho do Negro defende cidadã envolvida no atrito com ator

Denise Camargo, que repudiou a presença do ator Alexandre Frota na tribuna da Câmara de Vereadores na quinta-feira – quando o ator passou a atacar a ideologia de Denise, como se ela fosse membro de algum partido, fato que ela não é – ganhou a defesa do Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra na manhã desta sexta-feira, quando eles divulgaram uma Nota Pública de Protesto e Indignação.

A defesa de Denise por parte do Conselho do Negro se dá pelo fato do presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba, Rodrigo Manga, que convidou Frota a vir a Sorocaba fazer palestra sobre o seu abandono ao vício de cocaína, ter atribuído a ela o começo do atrito, responsabilizando-a, portanto, por toda a confusão e, assim, desrespeitando os argumentos de Denise de se sentir indignada pela presença de Frota na tribuna tendo ele em seu histórico diferentes casos de agressões às mulheres.

Na foto que ilustra essa postagem, aparece Frota na TV Câmara dirigindo impropérios contra Denise, abaixo na TV, de lenço bege na cabeça. A imagem da dimensão da distância entre eles, ou seja, ela estava na galeria da Câmara e ele na tribuna cuja a distância é de mais de 50 metros.

A vereadora Iara Bernardi, e depois o vereador França, se indignaram com Frota (leia postagem anterior) após essa discussão.

Nota Pública de Protesto e Indignação  

A presidência deste Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra por motivos e fatos ocorridos durante Seção na Câmara em 0/08/2018, vem a público para registrar seu mais profundo protesto.

Em que pese os motivos que levaram o Presidente desta Casa de Leis convidar o Sr. Alexandre Frota não podemos aceitar o seu comportamento desrespeitoso diante da manifestação legitima da Sra. Denise Camargo.

É oportuno comentar que nosso município, e consequentemente a região de Sorocaba, foi objeto de noticiário nacional entre o fim do ano passado e começo deste ano, quando vivenciamos uma série de assassinatos de mulheres, comportamentos machistas, intolerância racial e de gênero.

Sabidamente era de se esperar que esta situação fosse ocorrer, visto o convidado ter um histórico de declarações ácidas e polêmicas conhecidas nacionalmente, contudo peca o Presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba, ao atribuir única e exclusivamente à Sra. Denise Camargo a responsabilidade pelas vexatórias cenas veiculadas nacionalmente.

Quando Denise Camargo se manifesta dizendo que o convidado não deveria estar ali naquele espaço, fica evidente em sua linha de raciocínio que há muitas outras questões de interesse público que deveriam estar ali sendo tratadas, inclusive a própria dependência química e quais as ações mitigadoras em curso no município, haja vista que a dependência química do álcool e outras drogas é sabidamente um problema de saúde pública e de políticas intersetoriais.

Todo apoio a Denise Camargo que exerceu exemplarmente sua cidadania, que pagadora de seus impostos contribui como todos nós para os bem-remunerados contracheques dos REPRESENTANTES DO POVO.

Não é isso que esperamos de uma Casa de Leis e nem de seus Parlamentares!

Não podemos aceitar a transferência de responsabilidade à Sra. Denise Camargo declarada pelo Presidente da Câmara em entrevista à Radio Ipanema a sua inabilidade em conduzir e encerrar a situação.

Sob o manto da Moral e dos Bons Costumes e na esperança de acabar com a Dependência Química, sem se ater as causas e sim as suas consequências, assistimos estupefatos na 1º Sessão da Câmara de Vereadores de Sorocaba após o recesso, a constatação de que não somos representados e o Legislativo perde a oportunidade de reconciliar com a população, dando sinais, ou melhor escancarando a crise de representatividade que vivemos, ousando ainda a coibir as legítimas manifestações populares, sejam elas individuas ou coletivas!

José Marcos de Oliveira – presidente do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Sorocaba/SP.

Comentários

Leia também