Conto da oralidade agora contado em livro

Assim como Alice no País das Maravilhas é um livro infantil, em tese também é um livro infantil “O bicho mais poderoso do mundo”, que será lançado amanhã, sábado (23 de março), às 16h, na livraria Nobel Sorocaba (rua Barão de Tatuí, 867).

Zé Bocca, meu amigo querido desde os tempos em que estudamos juntos no Senai, foi “picado” pela mosca azul das artes quando começou a participar do grupo “Olho da Rua” com Benão Oliveira, Márcia Mah, Alvinho e grande elenco ainda nos anos 90.

De lá para cá já se vão mais de 30 anos e Zé Bocca se tornou referência nacional (e até internacional) na arte de contar histórias.

“O bicho mais poderoso do mundo” é o transporte para o papel (letras e imagens impressas) da oralidade (voz, entonação, sons e música) da primeira história contada por Zé Bocca, 20 anos atrás, depois que ele a ouviu num programa da Unesco, exibido na TV Cultura.

Em “O bicho mais poderoso do mundo” está a jornada de um gato em busca do animal mais forte, corajoso e carismático do mundo. O ouvinte (e espero que o leitor também, sem os recursos da oralidade) chega muito perto de si próprio em perceber múltiplas possibilidades da sua existência quando ele se coloca no lugar deste gato nesta jornada da busca do outro.

A editora Aletria, que lança este primeiro livro de Zé Bocca, além de publicar livros infanto-juvenis desenvolve projetos com contadores de história, bibliotecários e mediadores de leitura em geral. Com “O bicho mais poderoso do mundo”, a editora inaugura a Coleção Colorín Colorado, que traz impressos alguns contos narrados “de boca em boca”.

Comentários

Leia também