Copa da Rússia apresenta ao Brasil marcas “estranhas”

Os logotipos das marcas Wanda, Mengniu, Hisense, GazPro nas placas de publicidade dos campos onde acontecem os jogos da Copa da Rússia – marcas absolutamente estranhas ao consumidor brasileiro – dividem espaço com McDonald’s, Coca-Cola,etc tão familiares a todos nós.

Isso acontece em razão de quase 40% dos patrocínios do evento serem de empresas chinesas que, até o momento, não estão inseridas no mercado latino.

Os anunciantes asiáticos respondem por 39% dos negócios no evento de 2018, chegando perto das marcas europeias, que detêm 44% dos patrocínios. Na Copa de 2014, os asiáticos tinham apenas 20% de participação.

As marcas em destaque

Wanda Group – Esta é a primeira Copa patrocinada pela empresa, que fechou acordo com a FIFA até 2030. O Wanda Group está engajado em três setores de negócios: imobiliário, cultural e financeiro. A empresa tem um clube de futebol, o Dalian Wanda F.C, e é dona de 20% do clube espanhol Atlético de Madrid. O proprietário é o bilionário chinês Wang Jianlin, que já foi o homem mais rico do país.

Mengniu – A Mengniu é o grupo que vende o iogurte, sorvete e leite durante o torneio. A marca vai além dos gramados, aparece em nos canais digitais da FIFA e nos ingressos dos jogos. O garoto-propaganda é o jogador Lionel Messi, que têm acordo até o final deste ano com a marca. Atualmente, a empresa é a maior produtora de leite da China em volume. O argentino Lionel Messi é o embaixador da marca de iorgute Mengniu na Copa.

Hisense – A Hisense produz televisores e eletrodomésticos. Já patrocinou importantes eventos esportivos como a Liga dos Campeões em 2016 e o Open da Austrália. A empresa é líder de venda de TVs na China por 14 anos seguidos. Seus produtos estão disponíveis em mais de 130 países.

GazProm – A Gazprom (Газпром, no alfabeto cirílico)é uma empresa de energia da Rússia, sendo a maior empresa do país, e é a maior exportadora de gás natural do mundo o que lhe confere a décima quinta posição no ranking das maiores empresas mundiais (Forbes 2011). Foi fundada em 1989 e é atualmente controlada pelo estado russo e tem partes das ações privatizadas. A empresa tem 432 mil empregados e vendas anuais de 31 bilhões de dólares (2004). O valor de mercado da empresa, 172,9 bilhões de dólares (est. abril 2011), a posiciona como a terceira maior corporação do mundo. Em 2009, a empresa controlava 15% das reservas mundiais de gás e uma considerável quantidade das reservas de petróleo.

Publicidade movimenta U$ 1,4 bilhão

Apesar do investimento em peso das empresas chinesas, a pesquisa da Nielsen aponta que nas últimas duas décadas, o valor do patrocínio da Copa do Mundo de 2018 foi menor que em 2014. A arrecadação pelos anúncios neste ciclo de 2015 a 2018 foi de US$ 1,45 bilhão, contra US$ 1,62 bilhão entre 2011 e 2014. A principal justificativa para a queda no volume foi o escândalo de corrupção na FIFA.

FOTO: Hisense uma das marcas “estranhas” ao brasileiro que é destaque nba Copa da Rússia

Comentários

Leia também