Defesa do prefeito atacará o que entende como erros da Comissão Processante

CrespoCassacaoA defesa do prefeito Crespo atacará o que entende como erros da Comissão Processante na investigação que culminou com a votação desta quinta-feira (24/08) na Câmara de Sorocaba, onde os 20 vereadores decidirão pela cassação ou não do seu mandato. Para se manter no cargo o prefeito precisa de 7 votos.

O advogado Ricardo Porto, especialista em direito político e eleitoral e professor da Escola Paulista da Magistratura no Tribunal de Justiça de São Paulo, fará a sustentação oral no tempo de defesa do prefeito.

O principal erro apontado por ele é o quórum legal de 14 votos para a instalação da comissão, que foi desrespeitado por ordem do presidente da Câmara, Rodrigo Manga, ao refazer a votação considerando quórum de 11 votos.

Depois, vai argumentar o advogado, a Comissão Processante desconsiderou que o prefeito mandou investigar o suposto diploma falso da assessora Tatiane Polis. Assim que soube da acusação, o prefeito determinou à Corregedoria Geral a investigação, o que, vai argumentar a defesa, anula a acusação de prevaricação.

O defensor do prefeito também apontará que a Comissão Processante não tem elementos comprobatórios de falta de decoro das principais testemunhas do incidente entre o prefeito e a vice e que deu origem a todo o imbróglio que termina na tarde desta quinta-feira se Crespo for mantido no cargo ou terão novos capítulos, caso seja cassado, com o prefeito recorrendo à instância da Justiça para provar que sua cassação.