Depois de 32 anos, um sorocabano é chamado ao 1º escalão do governo paulista

A escolha do sorocabano Flávio Amary para ser o secretário da Habitação do Estado de São Paulo a partir do ano que vem, fato anunciado hoje pelo governador eleito João Doria (PSDB), não apenas coroa a trajetória de sucesso dele, como restabelece uma dívida política com os eleitores sorocabanos que desde a fundação do PSDB, há 30 anos, vota maciçamente no partido, porém, apesar disso, a última nomeação de um sorocabano para o 1º escalão do governo paulista aconteceu em 1986, quando o então governador Orestes Quércia chamou Flávio Chaves para presidir a Caixa Econômica Estadual. Sim, o mesmo Flávio Chaves que é o atual secretário de Relações Institucionais e Assuntos Metropolitanos do prefeito Crespo.

Flávio Amary tem 48 anos e é filho do ex-prefeito e ex-deputado federal Renato Amary. Ele, desde muito jovem, acompanhava o pai nos empreendimentos da família (o que fez dele um sucessor natural ao comando da empresa) como os públicos. Foi por iniciativa do pai que ele se associou ao Secovi-SP (Sindicato da Habitação), entidade que dirigia desde 2016 e hoje pediu afastamento para assumir a secretaria, e durante 20 anos teve uma carreira de ascensão dentro da entidade, ganhando a confiança dos maiores empreendedores e incorporadores imobiliários que o escolheram para presidir a entidade. Além de presidir o Secovi, Flávio Amary também ocupava a vice-presidente Câmara Brasileira da Industria da Construção e diretor adjunto em um departamento da Fiesp (Federação de Indústrias do Estado de São Paulo).

Amadureceu decisão

Assim que o anúncio dos novos secretários começou a ser feito, com transmissão ao vivo pela internet do governador Dória, começaram a pipocar mensagens no celular de Flávio Amary. Então ele decidiu responder a todos de modo protocolar: “Amigas e amigos, recebi e aceitei um convite do Gov. Dória para assumir a Secretaria Estadual da Habitação, hoje foi anunciado publicamente. Feliz pelo início de uma nova etapa onde dedicarei toda minha energia com intensidade e determinação para ajudar a construir um futuro melhor para toda a sociedade. Flavio Amary”.

O tom dessa mensagem de Flávio Amary somado com as conversas que tive com ele nos últimos dias, me deixa com a certeza de que o convite de Dória havia sido feito há tempos, mas ele levou alguns dias para amadurecer sua decisão. Ele não deixou o comando do Secovi de maneira intempestiva e pelo prestígio que goza dentro do sindicato, junto aos seus pares, ficou claro que a decisão de aceitar o convite teve o aval dos decanos do mais importante sindicato da habitação do país.

O que vai fazer

Em entrevista aos veículos de comunicação da capital, onde foi feito o anúncio de sua nomeação, Flávio Amary, afirmou que entre seus principais objetivos no cargo estão a redução da burocracia do processo de licenciamento de projetos imobiliários, e a sequência das PPPs (Parcerias Público Privadas) para ampliar os investimentos no setor: “Dentro de uma linha com conceito liberal e dentro da desburocratização de processos, vamos buscar meios para que a iniciativa privada possa produzir os empreendimentos imobiliários em um ciclo mais curto, principalmente aqueles que atendem a população de baixa renda”. Ele disse ainda que também dará continuidade às PPPs que já estão em andamento e que irá buscar alternativas para incentivar mais investimentos privados no segmento de moradias populares, visando à diminuição do déficit habitacional. Ele acrescentou ainda que a agenda de governo inclui iniciativas de regularização fundiária, programa de aluguel social e redução de favelas, entre outros.

Comentários

Leia também