Deputada admite que pressão dos estudantes do bem ajudaram na mudança de posição e abertura da CPI

Também durante entrevista na coluna O Deda Questão do Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) na manhã de hoje (11/05), a deputada Maria Lúcia Amary admitiu que a pressão dos estudantes que usaram o whattsapp para se comunicar com os deputados estaduais e com lideranças das bases eleitorais dos deputados ajudou na decisão de abrir a CPI da Merenda. Mas ela foi enfática em dizer que apenas os estudantes do bem ajudaram nessa decisão. E que os estudantes baderneiros que invadiram a Assembleia e quebraram mesas e cadeiras não influenciou nenhuma decisão. Outro fator que pesou, informa a deputada, foi a morosidade das investigações sobre as denúncias envolvendo desvio de recursos públicos da merenda escolar por parte do Ministério Público.