Deputada analisa derrota do candidato tucano na eleição para prefeito, entende que o resultado foi previsível, defende a liberação dos filiados para escolher como votar no 2º turno e prega a união do partido para preparar o futuro

mlaA deputada estadual Maria Lúcia Amary participou na manhã de hoje (07/10) da coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (91,1Mhz) e externou o seu sentimento em relação ao resultado das urnas no 1º turno da eleição municipal. Depois de governar a cidade por 20 anos, o PSDB não foi escolhido nem para o 2º turno. Na quarta-feira passada o prefeito Pannunzio já havia participado da entrevista e focou a explicação da derrota na estratégia escolhida para a campanha e na má avaliação do seu governo. Hoje a deputada Maria Lúcia deixou claro que não viu na campanha o problema da derrota, mas no processo de escolha do candidato e no timming do anúncio de que o escolhido era João Leandro: “[o resultado], de certa forma, foi até previsível, por uma série de coisas que aconteceram”, declarou.

Processo de escolha do candidato

Para a deputada Maria Lúcia, um partido com a experiência do PSDB não podia ter chegado na eleição com dúvidas a respeito de quem seria o candidato. Para ela, a prerrogativa da escolha era do prefeito Pannunzio e como ele não preparou ninguém publicamente para assumir a candidatura, todos no partido imaginavam que o candidato seria ele próprio, o que seria o mais normal. Como o prefeito anunciou somente neste ano que não ia concorrer, se abriu para outros quadros no partido, mas desde o anúncio da decisão o sentimento era de que o prefeito queria que o candidato fosse o João Leandro. E isso acabou se mostrando um problema, explicou a deputada, porque antes de pedir voto a gente tinha que apresentar o João Leandro e numa campanha curta isso não funcionou. A rejeição ao nome de João Leandro, continuou a deputada (demonstrada nas urnas e na pesquisa Ibope/TV Tem), é por conta desse desconhecimento da população sobre seu nome. Não tem nada relacionado ao currículo dele ou ao seu comportamento.

Empenho até o último minuto e pesquisa Ibope

A deputada elogiou o comportamento do candidato João Leandro, disse que ele fez o que podia, e que ela acreditou até o último minuto que ele iria para o 2º turno. Ninguém entrou derrotado na campanha e todos acreditaram até o final na força do partido, na força da legenda, na força do governador, na credibilidade e confiança que sabemos que a população tem no partido.

A deputada também ponderou que as duas pesquisas Ibope (a publicada no dia 15 de setembro e no 1º de outubro), veiculadas pela TV Tem, colocando João Leandro em 4º lugar, quando nosso sentimento era de que o nosso candidato estava em 3º e subindo e o 2º colocado vinha em queda, atrapalhou bastante. Ninguém vota em quem está em 4º lugar, disse a deputada. O cidadão quer votar em quem ele acredita que pode manter a cidade em seu nível de desenvolvimento e qualidade de vida, avaliou ela. E o resultado das urnas mostrou que o nosso sentimento estava correto, disse para completar: estou certa de que João Leandro teria ido mais longe do que os 13,47%se a pesquisa tivesse demonstrado que ele tinha essa intenção de voto e não apenas 9%. Esse erro do Ibope atrapalhou, sim, defendeu.

Melhorar a comunicação para o futuro

Durante a reflexão sobre o que deu errado e buscando, com muita transparência, explicar a derrota, a deputada afirmou que o “PSDB é péssimo de comunicação. Quando faz, não fala e quando apanha não reage”. Era uma alusão ao governo do prefeito Pannunzio em particular, embora ela tenha dito que falou de uma maneira em geral e não apenas de Sorocaba. Para a deputada, embora muito mal avaliado pela população (80% reprovamo governo Pannunzio, segundo o Ibope/TV Tem), o prefeito Pannunzio fez uma administração absolutamente responsável, legalista, e que garante os pagamentos de fornecedores e de todo o funcionalismo público. Mas essa dificuldade do Brasil, por desmandos do PT, disse a deputada, não foi compreendida pela população. Ou seja, faltou se comunicar.

Sem candidato no 2º turno, mas junto do prefeito

A deputada entende que o PSDB deve se reunir e tomar uma decisão oficial e em conjunto de como se posicionar neste 2º turno. O candidato João Leandro, que é o presidente do diretório municipal, está descansando fora de Sorocaba e ao retornar fará uma reunião para fazer este anúncio. Ela defende que sejam liberados os integrantes para escolher em quem votar e, particularmente, ela não vê afinidade ideológica com nenhum dos dois.

A deputada frisou que independentemente de quem for o eleito, Crespo ou Raul Marcelo, ela seguirá trabalhando como deputada pela cidade. Ela lembrou do quanto ajudou Pivetta, quando prefeito de Votorantim pelo PT, e de quanto ajuda Mara Melo, prefeita de Araçoiaba da Serra do PT. “Eu brigo na eleição pelos candidatos do PSDB, mas passada a eleição trato todos iguais por respeito à população”, finalizou.