Deputado federal por Sorocaba, Vitor Lippi defende impeachment da presidente Dilma “porque o povo quer isso”. Eu lembrei ao deputado que Pôncio Pilatos mandou Jesus para a cruz porque o povo assim queria. Mas ele ignorou minha provocação

O deputado federal Vitor Lippi (PSDB) participou nesta segunda-feira (23/2/15), do Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema, para falar (entre outros assuntos) sobre os escândalos de denúncias de corrupção que envolvem a Petrobras. Para mim, na coluna “O Deda Questão”, o parlamentar também falou sobre o movimento que defende um possível impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).
Eu quis saber se ele era a favor do impeachment e ele assim se pronunciou: “Onde eu vou, eu escuto as pessoas falando: ‘Tira aquela mulher de lá’. Eu estou falando como cidadão, eu não sou mais do que ninguém. Tenho alguns compromissos legitimados com esse país, mas eu sou igual. O sentimento da população não poderia ser pior”, disse Lippi sobre o iníco da administração da presidente.
Eu lembrei ao deputado que Pôncio Pilatos mandou Jesus Cristo para a cruz porque o povo assim queria. Mas o deputado ignorou minha provocação e afirmou que seria bom se o governo de Dilma fosse substituído: “Se nós pudéssemos substituir o governo, acho que seria muito bom para o Brasil, mas isso teria que passar por um processo legitimado. Não podemos fazer disso um desejo pessoal ou um desrespeito democrático”, frisou.
Em tempo: longe de mim achar que a Dilma seja Jesus. Mas confesso que o povo é uma massa sem forma. É o que cada um interpreta dessa massa que dá sentido ao que cada um que forma esse povo fala. Portanto, a responsabilidade de quem tem a caneta na mão (como um deputado na questão do impeachment) é individual, da sua ideologia e de seu partido. Deixar na mão do povo a responsabilidade de seu ato é covardia. É um ato demagógico. É falar o que esse povo quer ouvir para tirar benefício próprio (como ganhar votos, por exemplo). Entendo que existam pessoas que acreditem que o impeachment seja um caminho neste momento do país e respeito essa posição. Mas me irrita quem tem essa opinião porque assim o povo quer.

Comentários

Leia também