Deputados federais de Sorocaba, alvos de protesto e chamados de golpistas, vêem ato com normalidade

Reagiram com naturalidade os deputados federais sorocabanos, Jefferson Campos e Vitor Lippi, chamados de golpistas durante ato de protesto dos integrantes da organização Levante Popular da Juventude (fundada em 2006 e mantida por jovens militantes que defendem a luta de massas em busca da transformação da sociedade) por terem votado a favor do impeachment da presidente Dilma. O ato aconteceu na rua, em frente ao escritório político do deputado Lippi, no Jardim Emília na sexta-feira passada. Os manifestantes usaram máscaras com os rostos dos dois deputados e do prefeito Pannunzio. Ele pintaram a rua com a frase “Lippi golpista”. Foi um ato pacífico.

Jefferson Campos me disse: “Toda manifestação pacífica e respeitosa entendo como democraticamente legítima e não coloca em dúvida meu voto porque sou legitimamente eleito e antes de votar eu refleti e estudei minha posição favorável ao impeachment. Não a vejo como golpe , mas sim como a expressão legitima da representatividade parlamentar.”

Vitor Lippi preferiu divulgar uma Nota Oficial: “Tenho a convicção que meu voto favorável ao Impeachment representa a vontade da ampla maioria da população. Um governo que fez mal ao Brasil, mal aos brasileiros, que organizou o maior sistema de corrupção do mundo. Um governo que mentiu e fraudou as contas públicas e trouxe a maior crise econômica e social das últimas décadas. Ressaltando que o Impeachment tem o apoio da OAB, foi legitimado pelo Supremo Tribunal Federal e as contas públicas da presidente Dilma foam reprovadas por unanimidade pelo TCU. Meu voto foi coerente com a mudança. Um novo governo é justo, legítimo e necessário”.