Dini será o presidente da Câmara, mas Martinez ganha a eleição

A procuradora aposentada da Prefeitura de Sorocaba e secretária jurídica da Câmara de Vereadores desde 2003, Márcia Pegorelli, vai continuar no cargo durante a gestão do presidente Fernando Dini que será eleito presidente do Legislativo sorocabano no dia 13 de dezembro.

Apesar de vir a ser eleito, o grande vitorioso da eleição será José Francisco Martinez, que tinha a intenção de ser o presidente pela oitava vez da Câmara de Sorocaba. Tinha até perceber que a articulação em torno do nome de Dini estava fechada há meses e na semana passada já haviam 12 votos consolidados a Dini e sua chance de ser eleito inexistia. Mas, ser eleito, passou a ser um detalhe, uma vez que a grande vitória era emplacar a continuidade de Márcia Pegorelli e isso aconteceu.

Dini, quando iniciou os contatos para ser presidente, tinha a intenção de trocar Márcia Pegorelli, pois isso era anseio de boa parte dos seus colegas. Então, porque Dini se curvou à vontade de Martinez? Porque manter Márcia e evitar um confronto com Martinez, mais do que a vitória, dá a Dini a imagem de conciliador, o que nos tempos atuais, de extremismos, é visto como um trunfo. Esse raciocínio político, bem diferente do cartesiano, significa algo como melhor ceder e ganhar do que ganhar e perder. Ou seja, Dini começará seu mandato de modo pacificado, sem conflito.

Márcia Pegorelli e Martinez são sinônimos de um só. Eles são leais e amigos de longa data quando se trata do desempenho do legislador. Márcia, por sua vez, tem outras duas características: amizade com o promotor de justiça Orlando Bastos Filho, do Ministério Público de Sorocaba; e é adversária, senão inimiga, do prefeito Crespo. Ela não esconde de ninguém que tem o prefeito como desafeto e o promotor como amigo íntimo.

Importante o registro também de que Márcia tem o vereador Marinho Marte (afastado da vida pública por ação do MP) como outro desafeto, em que pese sua ida da Prefeitura à Câmara tenha sido providenciada por Marinho. Nunca ficou claro o que aconteceu da amizade de décadas atrás até virarem os adversários de hoje entre Márcia e Marinho.

A permanência de Márcia Pegorelli, também, passa a ser vista pelo grupo de vereadores que levou o prefeito Crespo à cassação, no ano passado, como uma derrota do Crespo. Esse grupo entende que sem a continuidade de Márcia, Crespo seria o vitorioso tendo em vista o prefeito e a secretária serem adversários desde quando ele era vereador, além da proximidade de Dini a Crespo, desde a época da cassação, onde o vereador ficou praticamente isolado dentro do Legislativo e virou secretário de Segurança.

Fora isso, todo o resto é jogo de cena: “Esse acordo mostra a força do consenso e da boa intenção de fazer com que o Poder Legislativo – independente que deve ser – cresça ainda mais. Teremos mais uma vez a Câmara Municipal unida e focada em um único propósito: o bem de Sorocaba e o bem-estar dos sorocabanos”, diz Dini. Ou: “Desisti da disputa pelo posicionamento de independência do Executivo demonstrado por Dini na reunião”, disse Martinez.

Comentários

Leia também