Direção do Saae cria equipe para medir as perdas reais (vazamentos) e perdas aparentes (fraudes) da rede de água de Sorocaba. Para isso comprou macromedidores (hidrômetros maiores) que serão instalados nos bairros

Falei na coluna O Deda Questão na rádio Ipanema (FM 91,1Mhz) na última segunda-feira sobre o quanto é confortável a situação do abastecimento de água em Sorocaba diante de todo o drama que se vê em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas e Belo Horizonte. Aliás, tratei deste tema aqui no blog também. E para não deixar dúvida sobre o que falei, quando toquei na questão das perdas de água, o responsável pela comunicação do Saae, o competente jornalista Carlos Lara, me escreveu o texto a seguir que julgo bastante esclarecedor:
“Bom dia Deda, como vai? Liguei ontem na Ipanema logo que você comentou o assunto, mas creio que não houve tempo da Rosana passar a informação.
Atualmente, o índice de perdas de água em Sorocaba está em torno dos 30%, porém, nesse percentual estão incluídas as perdas aparentes e as reais.
Perda aparente são os furtos de água e violações nos hidrômetros, ou seja, é todo o volume de água que o Saae/Sorocaba produz, distribui e não consegue computar (ler), e consequentemente não é cobrado.
Perdas reais são justamente os vazamentos nas redes públicas de distribuição.
Desta forma, o cálculo que fazemos para chegar a esses 30% é a diferença entre o volume que é produzido e o volume que é computado por meio das leituras mensais dos hidrômetros, somando-se os consumidores residenciais, comerciais e industriais de Sorocaba (atualmente são 245.449 ligações de água).
Visando controlar essas perdas, diminuí-las e aferir o que temos exatamente de perdas reais (vazamentos) e de perdas aparentes (furtos e fraudes), a direção da autarquia instituiu no final do ano passado uma equipe, que desde então vem trabalhando essa questão.
Num primeiro momento, o objetivo é mensurar o que temos exatamente de perdas reais (vazamentos) e perdas aparentes (fraudes).
Para tornar isso possível, a autarquia promoveu licitação e está adquirindo macromedidores (hidrômetros maiores), que serão instalados nos bairros. Desta forma, teremos condições de medir o volume de água que está entrando em cada bairro e o que está sendo medido (cobrado) mensalmente. Fazendo o cálculo da diferença entre esses dois volumes, teremos o volume que está sendo fraudado e o que está vazando.
Paralelamente, também desde o final do ano passado, a autarquia vem implantando algumas ações para diminuir as perdas, que incluíram a aquisição de veículos pick-ups de pequeno porte (Saveiros), que estão permitindo um melhor e mais rápido atendimento às ocorrências de vazamentos, visto que ao contrário dos caminhões, esses veículos permitem deslocamentos mais rápidos pelas diversas regiões da cidade. Outra medida que vai permitir a diminuição dos índices de perdas são os reguladores de pressão das redes que estão sendo instalados pela cidade, visto que as variações de pressões são os principais motivadores de vazamentos.
É isso Deda, qualquer dúvida estou à disposição”.
A foto (de autoria de Luiz Setti, profissional que trabalha no Cruzeiro do Sul) ilustra vazamento de água na zona industrial de Sorocaba no dia 8 de dezembro de 2014.

Comentários

Leia também