Direção metropolitana do PSC de Sorocaba me chama de nero, o imperador que colocou fogo em Roma

Serginho Cardoso, coordenador metropolitano do PSC, discutiu com o secretário estadual do seu partido porque ele está fazendo pressão sobre o diretório municipal do partido afim de que ele se decida pela pré-candidatura de Renato Amary (PMDB) no caminho local do partido nesta eleição. Isso Serginho confirmou para mim após minha nota sobre o tema ter sido publicada ontem (14/06).

Mas afirmou que carreguei na tinta ao dizer o que disse na nota. Ele me chamou de Nero, o imperador que colou fogo na Roma antiga, e foi enfático em dizer que a expressão mão grande é forte e não corresponde à realidade. Sobre o restante da nota ele me disse que “os partidos grandes fazem isso mesmo, ou seja, tentam se articular por cima, no diretório estadual, não respeitando as posições locais. Na minha opinião, toda a comissão local de um partido não deveria ser provisória, pois é complicado a cada integrante a falta de segurança. O PSC de Sorocaba tem no momento Flávio Chaves como pré-candidato a prefeito de Sorocaba e uma simpatia pela deputada estadual Maria Lúcia Amary, uma das cotadas para ser candidata do PSDB. Mas muita água pode passar por baixo desta ponte. O Renato é um grande político e até acho que seja o favoritíssimo para ser eleito prefeito, mas temos plantando uma participação mais atuante do PSC na agenda política metropolitana. Nosso partido tem pela primeira vez 7 candidatos a prefeito na região. Sou cria do Renato Amary, participei come ele do seu início. Só que agora queremos também participar da agenda política da cidade e ter o respeito dos partidos que desejam que sejamos parceiro.”