Divergência de opiniões entre dois membros do Ministério Público estadual é apenas um dos empecilhos para a liberação das chaves dos 2560 apartamentos do Residencial Carandá aos seus moradores, afirma prefeito

CrespoMP

Ainda na manhã de hoje no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz), o prefeito Crespo fez outra revelação a respeito da liberação das chaves dos 2560 apartamentos do Residencial Carandá: uma divergência de opinião entre os promotores Cristina Palma e Jorge Marum, ambos do Ministério Público de São Paulo, e o procurador Vinícius Marajó Dal Secchi, da União.

Há a concordância de Crespo e os promotores para a realização de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) que garantirá a entrega dos apartamentos do Residencial Carandá aos seus moradores mesmo sem a conclusão de equipamentos, previstos em lei, para o local como Escola, Creche, Posto de Saúde, Acesso à rodovia que liga Sorocaba a Porto Feliz.

A divergência, informada por Crespo, diz respeito a posição de Marum e Dal Secchi que entende que os moradores devem se mudar já para os apartamentos e a promotora Cristina Palma, que se mostra mais cautelosa e temerosa do risco que é o dos moradores ocuparem os apartamentos sem que haja no local escola e estrada segura para que eles tenham a acesso a rodovia.

Crespo, que voltou a dizer que vai entregar as chaves no dia 25 de março, admitiu que poderá vir a ser obrigado a mudar de idéia caso o TAC não seja assinado. Mas ele demonstrou convicção que será e frisou mais de uma vez que Marum e Dal Secchi estão do lado dele.

Crespo afirmou que a solução do transporte escolar para levar e trazer os alunos do Carandá para escolas dos bairros da Zona Norte de Sorocaba, já levantada na administração Pannunzio, pode ser adotada. Eu lembrei a ele que serão 40, 50 e até 60 viagens de ônibus por uma estrada perigosa, passando pela estreita ponte sobre o rio Sorocaba na divisa do Parque São Bento. Crespo afirmou que reconhece o perigo e que se algo acontecer já tem um culpado: “Alfredo do DER”. Trata-se do diretor do Departamento de Estradas e Rodagens que não faz a obra. O fato é que não adianta saber quem é o culpado, mas não colocar as crianças em risco.

O fato é que Crespo quer entregar as chaves em 25 de março e pode até passar por cima do que diz a lei para cumprir a sua promessa. Mas de fato, hoje, não é possível assegurar com segurança que as chaves serão entregues daqui 40 dias.