Divergência nacional entre PT e PSDB leva a bate-boca de vereadores

VereadoresTucano (à direita) afirmou que o PT criou 14 milhões de desempregados no Brasil; petista rebate dizendo que o PSDB sustenta atualmente o governo Temer

Os vereadores JP Miranda (PSDB) e Francisco França (PT) protagonizaram na sessão ordinária desta terça-feira (22/06) na Câmara de Sorocaba um bate-boca que apenas trouxe para o ambiente municipal o embate de âmbito nacional.

JP acusou o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Sorocaba e Região, no qual França ocupa a função de vice-presidente, de retirar ônibus das ruas sob a alegação de panes elétricas e mecânicas. O petista rebateu as declarações acusando o vereador do PSDB de estar a serviço das empresas do transporte público municipal.

Pronto, o bate-boca teria essa temática (os motoristas decidiram fazer greve a partir de hoje), mas ficou evidente que ela é apenas a ponta de uma profunda divergência ideológica que se arrasta pelo país ao menos desde 2014 quando Dilma derrotou Aécio, por muito pouco, na urna. O que se vive no Brasil, em termos de ódio, desde então, é público e notório.

JP afirmou que há excesso de sindicatos no Brasil e afirmou que o Partido dos Trabalhadores entregou o Brasil à situação de 14 milhões de desempregados.

França rebateu dizendo que o PSDB permanece na base aliada do governo Temer após os recentes escândalos de corrupção.

JP quer tucanos longe de Temer

Mais cedo, na coluna na coluna O Deda Questão do Jornal Ipanema (FM 91.1Mhz), JP Miranda enviou mensagem, no contexto de uma discussão, dizendo que ele, como membro da ala jovem do PSDB, defende que o partido deixe o governo Temer. Posição contrária do deputado federal Vitor Lippi e de Pannunzio, que representa o governo do Estado de São Paulo em Brasília.