E o imbecil “Homem Pateta” é de Sorocaba!

O perfil de rede social “Homem Pateta” ganhou notoriedade no Brasil depois de uma onda de medo assolar primeiramente crianças e, em consequência, os seus pais. 

Não se trata de uma versão da era digital da analógica “Loira do Banheiro” (terror de minha infância) pois a imbecilidade extrapola o lado psicológico ao propor desafios para crianças relacionados à automutilação e ao suicídio. Sim, dor, sofrimento e morte!

E o que se fica sabendo agora? Que o dono desse perfil “Homem Pateta” é de Sorocaba. Como também era sorocabano o administrador de um grupo com mais de mil pessoas racistas que cometiam crimes virtuais, em 2015.

Me pergunto sobre os pais desse adolescente: eles tinham idéia, vaga que seja, do que o filho fazia? Como pai, avô e filho que sou, arrisco a dizer que não. Não sabiam. Devem estar se perguntando onde erraram.

Posso dizer que os pais são o que conseguem ser. Uns são caladas e distantes, enquanto outros são próximos. Não há fórmula e nem regra. Nada evita que as pessoas sejam o que elas são. Crianças ou adolescentes, eles são o que são. Só a educação, livros e mais livros, de literatura principalmente, talvez ajudem a moldar uma geração que conecte o conhecimento digital com o secular.

Não culpo os pais desse adolescente imbecil e criminoso. Ainda bem que a polícia protegeu eles de um linchamento social e moral. Mas clamo que façam diferente. Se seu filho era mimado, que não seja mais. Se não era mimado, que venha a ser. Pais, superem essa decepção, mas não encubram o crime de seu filho. E muito menos o abandonem. Força para vocês, há um problemão em sua família.

O caso

A Polícia Civil de São Paulo cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de um adolescente no dia 10, mas apenas no dia 14 comunicou à sociedade o que fez, não informando em qual bairro de Sorocaba ocorreu a operação, nem o nome do adolescente e nem o da sua família. Imagens da casa dele deixam claro que se trata de uma pessoa, no mínimo, de classe média alta.

A informação da operação explica que, assim como os outros perfis que utilizam a imagem macabra de um homem vestido do personagem da Disney, essa conta do sorocabano usava o nome fictício de “Jonathan Galindo”. 

Segundo a polícia, o sorocabano confessou que enviava mensagens do perfil e disse que se tratava “apenas de uma brincadeira”.

Desde junho ao menos três estados registraram casos relacionados ao “Homem Pateta”. As polícias de Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, além de São Paulo, estão cientes e emitindo alertas sobre o caso, que envolve perfis que propõem os desafios para crianças.

O inquérito corre na Delegacia Seccional de Sorocaba. Em nota, a polícia afirma: “A investigação realizada demonstra que não existe anonimato na internet e reforça que a Polícia Civil é o filtro permanente da justiça e da legalidade”, diz a polícia em nota. 

Histórico

Reportagem do Portal de Notícia UOL (https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/07/14/policia-faz-operacao-em-sp-e-identifica-adolescente-como-homem-pateta.htm), explica que o caso do “Homem Pateta” relembra outras situações que repercutiram muito na internet, como o caso da Baleia Azul ou da Boneca Momo. São perfis que instigam crianças e adolescentes, por meio de “desafios”, à automutilação e, por vezes, ao pensamento suicida.

Em Santa Catarina, por exemplo, a situação veio à tona no programa “Proteger Para Conhecer”, que tem como objetivo conscientizar pais, responsáveis, professores, crianças e adolescentes com palestras sobre os perigos da internet, conforme mostrado pelo UOL. Os perfis com o nome Jonathan Galindo e uma imagem de um homem vestido de Pateta passaram a se multiplicar nas redes (hoje, há menos perfis e alguns de protesto contra a sua atuação, como o “jonathangalindoresistance”), em especial no Facebook e no Instagram.

Algumas dessas páginas têm conteúdo em português. Houve relatos de mães que viram seus filhos ou familiares crianças dialogando com perfis com a fotografia assustadora. O homem que aparece nas fotografias seria James Fazzaro, cineasta, maquiador e dono da empresa JMF Filmworks. Há registros dele divulgando suas imagens fantasiado de Pateta em 2012 e 2014, e, até o momento, não há qualquer informação sobre sua relação com o caso.

Os primeiros casos dos supostos desafios suicidas ainda são pouco conhecidos, mas há especulações de que os desafios suicidas relacionados ao “Homem Pateta” aparecido pela primeira vez na Europa e no México em 2017. No último dia 30, a Polícia Federal informou que está investigando o caso e orientou pais e mães para que mantenham proximidade aos filhos quando estes estiverem utilizando a internet.

Comentários

Leia também