Economia criativa entra na agenda de Sorocaba e Parque Tecnológico projeta a instalação de escola técnica sobre o tema; unidade escolar foca no tema e cria redes de relacionamentos para geração de negócios da área na cidade

RobertoFreitasO presidente do Parque Tecnológico de Sorocaba, Roberto de Freitas, utilizou a tribuna da Câmara de Vereadores no início da sessão ordinária desta terça-feira, 31/10, para solicitar o apoio dos vereadores, através de verbas do Orçamento Impositivo, para a implantação de uma Escola Técnica de Economia Criativa.

Freitas afirmou que, com apoio do deputado estadual Carlos Cezar, o Governo do Estado estuda trazer a unidade para a cidade que, inicialmente, seria instalada no Parque Tecnológico. A ideia é que no próximo ano seja construído um prédio próprio para a nova Escola Técnica. O presidente protocolou pedidos em todos os gabinetes oficializando o pedido de emendas parlamentares.

Roberto Freitas, que recebeu o apoio dos vereadores, também agradeceu o vereador Pastor Apolo (PSB), que irá destinar emendas para implantação de um Fab Lab – laboratório de inovação – no Parque Tecnológico.

Senac foca no tema

De olho na importância cada vez maior que a Economia Criativa ganha no Brasil, o o Senac Sorocaba criou o Núcleo de Economia Criativa com o objetivo promover redes de relacionamentos entre profissionais e empreendedores de todas as áreas da cadeia produtiva, a fim de integrar e desenvolver projetos inovadores para movimentar a economia local.

O Índice de Cidades Empreendedoras, divulgado pela Endeavor Brasil em 2016, que coloca Sorocaba como a 8ª melhor cidade do país para empreender, explica o fato de o segmento da economia criativa despontar como um novo modelo de negócio, aliando empreendedorismo com criatividade e dinamismo na cidade.

Ivone Perez Ruiz, coordenadora do Núcleo de Economia Criativa do Senac Sorocaba, explica que a iniciativa surgiu após a percepção de que havia a necessidade de integrar todos os setores da economia para que os profissionais e empreendedores pudessem fazer conexões e pensar em conjunto, de forma criativa, em como criar oportunidades de negócios e geração de renda na região.

O que é

A Economia Criativa é o conceito dos processos que abrangem os ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade, cultura e capital intelectual como insumos primários.

Hamilton Sbrana, docente do curso Técnico em Teatro do Senac Sorocaba, é um dos facilitadores do Núcleo de Economia Criativa da unidade. Hoje, ele coordena o trabalho de reunir os grupos de teatro atuantes em Sorocaba, iniciativa inédita na cidade, e já contabilizou um total de 60 grupos na cidade. “Nos reunimos para entender quais eram as necessidades profissionais deles e o que precisavam para se fortalecerem e terem ainda mais sucesso. Muitos não sabem como estruturar um projeto e também não têm espaços físicos para os ensaios, por exemplo. A partir desse levantamento, estamos fazendo estudos para ajudá-los nessas questões. Isso é economia criativa, um ajudando o outro”, ressalta Hamilton.

Para Cristiane Higueras Simó, professora do curso de pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e Design de Interiores do Senac Sorocaba, outro exemplo de economia criativa são os coworkings, espaços compartilhados de trabalhos que reúnem pessoas de diferentes profissões em um único local. “Esse tipo de espaço facilita a troca de experiências, networking e geração de negócios”.

De acordo com Rodrigo Amaral, gerente do Senac Sorocaba, a atuação do núcleo também auxilia a instituição a identificar as necessidades de formação profissional na área. “Estamos atentos a essa tendência de negócios e sempre realizamos eventos voltados para a economia criativa. Além disso, reunimos alunos e funcionários em encontros periódicos para discutir formas pedagógicas de colocar em prática este conceito nas atividades do dia a dia do trabalho e nas aulas”, conclui.