Eduardo Suplicy, liderança nacional do PT, e Marlene Campos Machado, do PTB, fazem palestras para estudantes em Sorocaba

EuSuplicyEduardo Suplicy, senador pelo Estado de São Paulo por 24 anos consecutivos e atualmente vereador na cidade de São Paulo, visitou Sorocaba nesta segunda-feira a convite do Centro Acadêmico da Faculdade de Direito da Uniso (Universidade de Sorocaba).

Marlene Campos Machado, presidente estadual do PTB Mulher, que foi candidata ao senado na última eleição, também visitou Sorocaba a convite do câmpus local da Faculdade Anhanguera. Ela foi recepcionada pela vice-prefeita, Jaqueline Coutinho, que é coordenador do PTB para a Região Metropolitana de Sorocaba e presidente do diretório municipal do PTB.

Marlene Campos Machado não fez divulgação da sua vinda, mas tratou com os alunos da importância dos jovens e das mulheres na política.

Programa Renda Básica de Cidadania

Eduardo Suplicy, por sua vez, esteve em Sorocaba para falar sobre o seu projeto, de 30 anos, de Renda Básica (onde a comunidade se organiza na criação de um fundo cujo os dividendos, cerca de 500 dólares por pessoa de cada família), é mensalmente creditado na conta de cada pessoa. Chamado Da de “Direitos Humanos e Renda Básica de Cidadania”, a palestra é um ato de fé de Suplicy em seu projeto de distribuição de renda.

Ele foi recepcionado por Pedrinho Bueno, presidente do Centro Acadêmico de Direito da Uniso, pela vereadora Iara Bernardi e pela professora Tânia Baccelli que já foi vereadora em Sorocaba durante sua visita à rádio Ipanema onde, ao vivo, participou da coluna O Deda Questão durante o Flash News. Essa entrevista está no YouTube e pode ser acessada através do Portal Ipanema (www.ipaonline.com.br).

O resumo do projeto é que cada habitante, independentemente da sua riqueza e bens, tenha direito a 500 dólares por mês como complemento de sua renda que virá de um grande fundo a ser criado e gerido pela comunidade. Há casos em que o rendimento mensal chega a 10 reais, mas a meta é que seja de 500 dólares por pessoa. Quando questionei o senador a respeito da afirmação daqueles que são contra este projeto e outros, como o de Bolsa Família, dizendo que isso é dar o peixe e não ensinar a pessoa a pescar, ou que seria uma espécie de alimentar pessoas que não querem trabalhar, o senador lembrou que os ricos, seja através da propriedade privada e os dividendos que recebem de aluguel ou do dinheiro aplicado em bancos, já recebem esses dividendos e o que o programa de Renda Básica faz é o de universalizar a toda a comunidade que pertence ao fundo esses mesmos dividendos. O objetivo é que qualquer cidadão tenha condição de decidir o que fazer sem que precise fazer o que não quer para conseguir apenas sobreviver que é o que deveria ser o direito básico de qualquer pessoa que nasça. Polêmico quando anunciado 30 anos atrás, de difícil compreensão, aos poucos o Programa de Renda Básica Mínima começa a ser entendido como uma solução para a pobreza em países tão desiguais como o Brasil no que diz respeito ao combate à violência e ao tráfico de drogas, por exemplo.