Encontro em restaurante de ex-prefeita e equipe, que era notícia para coluna social, ganha conotação política por ter ocorrido no mesmo dia em que Câmara recorre de decisão do TJ e por ex-secretário afirmar que pode ser um bota-dentro

BotaForaA ex-prefeita Jaqueline Coutinho (que é vice) e ex-integrantes que fizeram parte dos seus 43 dias de governo, se reuniram para uma confraternização no restaurante Outback de Sorocaba na noite de sexta-feira (20/10). O que não passaria de uma nota para coluna social ganha conotação política por ter ocorrido no dia seguinte à Câmara de Vereadores, que cassou o mandato de Crespo, ter recorrido da decisão do Tribunal de Justiça que, via liminar, devolveu a Crespo o mandato de prefeito. O que ajudou a reforçar o tom político do encontro foi a declaração de Francisco Pagliato Neto, ex-secretário de Relações Institucionais do governo de Jaqueline Coutinho, dada ao jornalista Felipe Shikama e publicada no portal do jornal Cruzeiro do Sul: “Não sei se foi um bota-fora ou bota-dentro. Isso vai depender da Justiça.”

O encontro dos membros do governo de 43 dias se tornou público a partir de foto no facebook de Hélder Paranhos, que enquanto assessor do vereador Renan dos Santos (PC do B), fez o pedido para que a Câmara investigasse o prefeito Crespo e que acabou sendo o motivo da cassação do seu mandato. A jornalista e ex-secretária de Comunicação e Eventos, Sandra Navarro, também divulgou o encontro. Na imagem, além de Jaqueline Coutinho, Sandra Navarro e Kiko Pagliato estão os ex-secretários Karen Castelli, Glauber Piva, Paulo Henrique Soranz e os vereadores Hudson Pessini (PMDB) e Renan Santos (PCdoB), além da presidente municipal do PHS, Thais Romão, que cheficou o gabinete de Kiko durante o mandato.

O que afirma Kiko

Na coluna O Deda Questão de hoje no Jornal Ipanema (FM 91.1Mhz), questionei Kiko Pagliato sobre o encontro e ele foi taxativo em dizer que se tratou de happy hour informal entre ex-colegas de trabalho, ou seja, uma confraternização de parte de um grupo (onde nem todos puderam ir) que ficou junto 43 dias e desenvolveram afinidade. Para Kiko, a data da reunião (mesmo dia em que Câmara entrou com agravo) não passou de “coincidência”. Quanto a sua afirmação ao jornal Cruzeiro do Sul, ele explicou que o jornalista Felipe Shikama lhe perguntou se o encontro era um bota-fora e ele, no que lhe é característico, verdade seja dita, respondeu no mesmo tom de brincadeira que entendeu a pergunta e disse a expressão: “Não sei se foi um bota-fora ou bota-dentro. Isso vai depender da Justiça”. Mas, enfantizou, sem nenhuma segunda intenção.