Enem mostra Sorocaba com estudantes de 1ª, 2ª e 3ª categorias

Quando iniciei este projeto, O Deda Questão, em janeiro de 2013, o prefeito Pannunzio também começava o seu mandato e ele convocou a imprensa para uma reunião em seu gabinete, onde estava a maior parte da sua equipe. Ele anunciava a forma como seria a composição do seu governo com junção de secretarias e extinção de outras. Me lembro de ter contestado algo, talvez sobre a pasta da Cultura que seria agregada à Educação, o que no fim não aconteceu.

Enfim, me lembro bem, porém, de ter batido na tecla que bato há pelo menos dez anos: que prefeito vai colocar fim ao estudante de primeira, segunda e terceira categoria em Sorocaba. Ou seja, alunos dos colégios particulares tem nível de excelência, os das escolas municipais e estaduais estão em patamares abaixo. Acreditava que a municipalização do ensino poderia ser uma forma “mágica” de elevar o nível de qualidade da escola pública. Hoje estou convencido de que isso só vai acontecer com mais autonomia da direção da escola por cada unidade, assim como o dono de uma escola particular tem sobre a sua. Um diretor com direito a escolher, professor, mensurar individualmente o progresso de aprendizado do aluno e, de suma importância, que envolva os pais nesse processo assim como a escola particular envolve.

Neste ano teremos eleições e já vi algumas sabatinas com os candidatos à presidência e ao governo de São Paulo e nenhum deles foi abordado sobre este tema. Pior, nenhum deles teve a iniciativa de tratar do tema educação.

A realidade, que apenas evidencia o abismo de estudante de 1ª, 2ª e 3ª categoria em Sorocaba, foi novamente jogada na cara do sorocabano com a divulgação recente resultado do Enem (Exame Nacional de Ensino Médio): Dos dez colégios sorocabanos que obtiveram melhor classificação no exame, oito são particulares e os outros dois – as escolas técnicas estaduais Rubens de Faria e Souza e Fernando Prestes – selecionam seus alunos através de uma prova, ou seja, apenas os melhores podem estudar nessas duas escolas públicas.

A ausência de todas as unidades comuns de ensino médio da Prefeitura e do Estado (responsável pela absoluta maioria dos estudantes) comprova que ninguém fez nada para mudar essa realidade.

Em que pese o Enem ser a principal via de acesso dos jovens de menores recursos financeiros às universidades públicas, o seu resultado mostra que nada foi feito e o poder público, talvez provocado pela sociedade, tem que agir. Do contrário os melhores empregos e salários continuarão sendo de quem é hoje e de quem foi no passado. O abismo social no qual o Brasil está mergulhado é fruto, entre outros fatores, desse abismo educacional que ano após ano sedimenta estudante de 1ª, 2ª e 3ª categoria.

As 10 maiores notas de Sorocaba

Confira o ranking das 10 escolas de Sorocaba cujos alunos tiveram as maiores notas no Enem 2017 – divulgadas na semana passada – considerando a média entre as notas das Questões Objetivas e Redação: Colégio Uirapuru (677,63); Colégio Politécnico de Sorocaba (641,28); Anglo Sorocaba (634,81); Colégio Ser (625,90); Colégio Objetivo Centro    (625,26); Colégio Salesiano (612,09); Colégio Véritas (610,63); Etec Rubens de Faria e Souza (603,82); Colégio Santa Escolástica (601); Etec Fernando Prestes (598,76).

Comentários

Leia também