Ênfase do prefeito aos problemas, em detrimento ao que há de bom acontecendo, revela a intenção de conquistar a opinião pública para o seu jeito de administrar com ações de privatização e combate ao que ele classifica de regalias

CrespoMarco17

O prefeito Crespo revelou com exclusividade na entrevista de hoje na rádio Ipanema que a Policlínica Municipal de Sorocaba será terceirizada (assim como são as UPHs da Zona Leste e UPA do Éden) após a reforma do prédio iniciada em sua administração e terá custo de R$ 1,7 milhão. “Nós vamos fazer vários convênios com parceiros, alguns da iniciativa privada”, disse. “Qual vai ser a pessoa jurídica não sei, mas vai ser a mais adequada”, completou. Crespo não informou a partir de qual data deve ocorrer a mudança.

Ele também revelou que não vai repassar para as empresas de ônibus o valor das horas que não serão trabalhadas nesta quarta-feira pelos motoristas de ônibus da cidade que anunciaram a adesão à paralisação, agendada para todo o Brasil, de protesto contra as reforma da previdência e trabalhista em tramitação na Câmara. Se as empresas quiserem disse o prefeito, que tirem do seu lucro e repassem a quem não trabalhou. França, vereador do PT e dirigente sindical dos transportes, usou a tribuna para criticar essa postura e disse que a lei garante o direito a greve, paralisações e protestos.

A mesma lógica será aplicada pelo prefeito em relação aos funcionários públicos, que fazem assembleia nesta quarta-feira e diante do reajuste salarial de 0% proposto pelo prefeito e nova rodada de negociação para outubro, decidirão se farão greve. O prefeito não vai pagar salário de quem não trabalhar.

O aumento no preço da passagem de ônibus, a terceirização de parte dos serviços de creches, a iniciativa dele de obrigar, via decreto, o funcionário público a fazer compensação para folgar nos feriados, a regulação do serviço de Uber (com a criação do Novo Regulamento do Serviço de Táxi de Sorocaba, com capítulo específico a transporte por aplicativos); chamar o Banco do Brasil de ineficiente porque não fez vistorias no residencial Carandá o que pode atrasar a sua inauguração são apenas alguns dos atos de Crespo, polêmicos, que ele entende que serão melhor percebidos pelo sorocabano se focar no caos, no problema, na dificuldade.

Pode ser que ele tenha razão. Mas acredito que precise refinar essa estratégia, afinal hoje se ouve muito que ele está de mi-mi-mi ou xororô.