Enquanto se debatia se o melhor era Crespo, Godoy ou João Leandro, candidato do PSOL seguiu sua campanha sem ser incomodado. Agora, a 24 dias da eleição, Direita se dá conta que ele segue forte e faz ataques a ele em redes sociais

raul

“Enquanto tem gente preocupada com o Renato, o Crespo, o Godoy e o PSDB, o Raul Marcelo, que nunca administrou nada, nunca fez nada por Sorocaba, e é fruto do PT, tá dando risada….. Acorda eleitor.”

Essa mensagem, acompanhada da imagem que ilustra essa postagem, de um texto de 2009 onde Raul é informado como o articulador de um Frente Parlamentar em Solidariedade a Cuba, circula via WhattsApp em grupos de pessoas que tentam barrar a consolidação do candidato Raul Marcelo, do PSOL, no 2º turno das eleições em Sorocaba.

Desde a saída de Renato Amary da disputa e o seu apoio a Crespo, da coligação Renasce Sorocaba, o volume de pessoas que debatem essa união prevaleceu até agora nas discussões em rede. E acalmou. O sentimento é de que essa parceria entre os dois políticos está consolidada.

Em menor número, Godoy, da coligação Construindo um Novo Futuro, e João Leandro, da coligação Juntos Por Sorocaba, também são alvos de comentários.

Um perfil de eleitores (de candidatos do chamado centro-direita no espectro ideológico representado nesta eleição) passou o último mês enaltecendo as qualidades dos seus preferidos entre Crespo, Godoy e João Leandro.

Mas faltando 24 dias para a eleição, membros desse mesmo perfil ideológico, via WhatssApp, decidiram dar o alerta de que Raul Marcelo está se divertindo com esse debate entre quem dos três daquele espectro ideológico deve ganhar enquanto ele, Raul, passa ileso de críticas e se consolida, a frente de Glauber Piva do PT, como o representante da centro-esquerda nesta eleição.

Nesta sexta-feira, 9 de setembro, será publicada nova pesquisa do Ipeso, comprada pelo PSOL. Antes do horário eleitoral de Rádio e TV, o Ipeso, a pedido do mesmo PSOL, fez uma pesquisa e, na seqüência, a pedido da TV TEM, o Ibope também fez a sua. Basicamente os números dos dois institutos bateram. Não está prevista nova pesquisa Ibope até o momento.

O fato é que o sentimento da força de Raul entre os eleitores de centro-direita, que não querem a sua eleição, é real. Sem tempo de Rádio e TV, onde aparece somente 18 segundos por dia, Raul Marcelo dissemina sua campanha pelas redes sociais. Lá ele cresceu. Lá ele se mantém em diálogo constante com quem entende que agora é a vez dele. É a primeira vez que a Internet se mostra forte e, até o momento, decisiva no convencimento do eleitor pelo voto. Resta saber se ao ser atacado em seu terreno, o da Internet, Raul Marcelo vai seguir com a força que demonstrou até agora.