Entenda por que é importante votar em candidato de Sorocaba

Toda eleição para deputado surge a mesma dúvida: é importante votar em candidato de Sorocaba e região?

Sorocaba é sede de Região Metropolitana, uma das maiores do interior do País, tem quase 700 mil habitantes e mais de 350 mil eleitores, porém quando os números se referem à representatividade política, Sorocaba deixa essa grandiosidade de lado, torna se pequena. Portanto, é importante sim, votar em candidato de nossa cidade e região e apenas um cidadão consciente e na urna pode fazer com que um candidato daqui seja eleito.

Nas últimas eleições, espalhados pela cidade, se viam cavaletes com propaganda dos candidatos, pessoas com história e comprometimento com Sorocaba, porém muitas propagandas de candidatos a deputados estaduais e a deputados federais ao lado de candidatos de fora (a famosa propaganda casada, candidatos a deputado estadual ao lado de candidatos a deputado federal e vice-versa).

Candidatos paraquedistas que só aparecem nas eleições de 4 em e 4 anos levaram mais de 40% dos votos válidos de Sorocaba região na última eleição e consequência disso é que deixamos de eleger os candidatos de Sorocaba e da Região Metropolitana.

Obviamente que vivemos numa democracia e todo candidato tem direito buscar um voto onde deseja. Tiririca, por exemplo, levou quase 10 mil votos dos sorocabanos em 2014. O Pastor Feliciano, mais de 3 mil votos. E são exemplos atrás de exemplos. Valeu a pena?

O fato é que Sorocaba e Região Metropolitana perdem em representatividade política. Para mudar essa realidade, somente votando em candidato de Sorocaba e região.

Qual o critério para escolher

O deputado federal e o deputado estadual são representantes do cidadão no poder em que estão eleitos – já o senador representa o Estado pelo qual é eleito. Assim, o eleitor deve escolher o candidato que está familiarizado e conhece os problemas e necessidades de Sorocaba e região.

Os discursos, quase sempre, serão os mesmos: quero contribuir para a melhoria da realidade nas áreas de educação, saúde, segurança pública, economia, transporte, emprego, etc.

Mas o que, de fato, pretende fazer nessas áreas é o que o eleitor precisa se informar antes de escolher. Fuja de discursos prontos. Veja se o candidato sabe o nome da sua rua ou bairro. Entenda qual o nível do comprometimento dele com os seus anseios.

Votar emocionalmente, seja para ser contra o que está aí, ou mesmo sem fazer uma reflexão sobre quem deseja escolher vai apenas adiar um futuro melhor para Sorocaba e a Região Metropolitana. Vai apenas atrasar que o País e o Estado avancem de acordo com as idéias que o eleitor deseja, pois será necessário esperar mais quatro anos por outra oportunidade de trocar de representante. Não existe mágica quanto a isso. A mágica está em escolher corretamente. Por isso, escolha candidato de Sorocaba e região.

Os passos para fazer sua escolha

1) HISTÓRICO PESSOAL: Quem é o seu possível candidato?

Use fontes confiáveis, como os sites oficiais da Justiça Eleitoral, ou páginas de meios de comunicação conhecidos, para saber o histórico pessoal e profissional do candidato, sua postura ética e a forma com que ele se relaciona com a sociedade.

Busque saber se o discurso do candidato condiz com a sua atuação nos vários momentos da vida, em especial fora do período eleitoral.

Há processo criminal contra seu candidato.

Há acusação do mau uso do dinheiro público ou outras práticas ilegais.

Há acusação de desrespeito a legislação.

2) HISTÓRICO POLÍTICO: Seu candidato nestas eleições ocupa ou já ocupou alguma função pública ou eletiva?

Se sim, como ele desempenhou a função anteriormente? Foi um parlamentar ausente, faltando a muitas sessões? Que projetos ele apresentou? Como ele votou em outros projetos, especialmente aqueles mais polêmicos?

O eleitor pode acompanhar estas informações nos portais de transparência das câmaras e assembleias legislativas. O projeto Excelências, desenvolvido pelo Portal Transparência também reúne informações sobre os parlamentares do Congresso Nacional.

Se o candidato exerceu um cargo no poder executivo, o fundamental é saber quais investimentos ele realizou, se foram bem executados, como foi usado o dinheiro público em sua gestão.

Se o candidato está concorrendo a um primeiro mandato parlamentar, verifique quais temas ele trata em sua vida profissional. Se ele é médico, que tipo de serviço presta? Se é advogado, atua para quais organizações? A forma com que ele exerce sua profissão é um bom indicador de como ele desempenhará o cargo ao qual está concorrendo.

3) AFINIDADE DE PENSAMENTO: Outro fator importante é que os seus candidatos possuam os mesmos valores que você, que eles compartilhem do seu ponto de vista ideológico. Lembre-se que ele será o seu representante, portanto, é indispensável que vocês defendam as mesmas causas. Por isso, antes de votar, reflita sobre o que você gostaria de ver ser colocado em prática, e escolha alguém que possua as mesmas prioridades.

4) O PARTIDO DO CANDIDATO: Além de saber sobre o histórico dos candidatos, é necessário conhecer também o passado do partido ao qual ele é filiado uma vez que serão variadas votações ou projetos onde vai prevalecer a vontade do partido sobre a do político. Não basta o que pensa o candidato, mas o que o seu partido decidir.

Qual é conjunto de ideias que o partido defende, que programa ele tem para a sua cidade?

Há na legenda algum histórico de corrupção ou envolvimento em outros crimes eleitorais?

Ainda nesta eleição, haverá a prerrogativa da coligação partidária. Na prática, funciona da seguinte forma: o partido que faz parte de uma coligação não conta somente com os votos destinados ao seu partido, mas também com os votos destinados aos partidos coligados. Os mais votados dessa coligação é que serão eleitos. Assim, o seu voto pode ajudar a eleger candidatos dos outros partidos políticos.

Além disso, a composição das coligações é um bom indicio de quais legendas o partido do seu candidato tem mais afinidade, e com quais partidos ele provavelmente fará alianças caso seja eleito.

5) CONHEÇA AS PROPOSTAS: Depois de conferir o histórico do candidato e do seu partido, analise suas promessas de campanha esse elas são possíveis de realização: quais mecanismos serão usados para colocar os projetos em prática, informando de onde será destinada a verba para sua execução.

 

6) ATRIBUIÇÕES DO CARGO: Para saber identificar se as promessas do seu candidato são válidas, é preciso que você conheça quais as funções do cargo que ele está disputando. Por exemplo, é necessário entender que um candidato a deputado, caso eleito, terá a função de legislar e fiscalizar o trabalho do governador se estadual e do presidente se federal. Se o seu candidato está prometendo realizar obras ou ampliar as vagas em creches, saiba que esta promessa não é válida, pois ambas são atribuições do município, portanto de um prefeito.

Além disso, as promessas devem ser possíveis de serem cumpridas no período de mandato, que é de quatro anos.

Promessas como esta podem significar duas coisas: ou o candidato não tem conhecimento do cargo que pretende ocupar, ou ele está agindo de má fé, fazendo promessas simplesmente porque ele sabe que dão mais votos. Ambos os casos são sinais de que o candidato não é o mais indicado para assumir uma função tão importante.

7) GASTOS DE CAMPANHA: Com a Reforma Eleitoral, ficou determinado o fim das doações empresariais para as campanhas. Isto implica em uma drástica redução no financiamento das corridas eleitorais. Agora as campanhas dependem somente do Fundo Partidário e das doações de pessoas físicas, desde que dentro de um limite de gastos.

Com a redução das doações, as campanhas deverão ser muito menores do que eram até as eleições passadas. Por isso, o eleitor deve ficar atento aos sinais: uma campanha muito expansiva pode significar uso de dinheiro indevido, como Caixa 2.

8) DIAGNÓSTICO DA CIDADE E REGIÃO: As cidades, em especial Sorocaba como sede de Região Metropolitana, têm problemas e seu candidato deve estar sintonizado com eles. Sua função ao representar o cidadão será o de buscar melhorias e soluções a estes problemas. Portanto, o eleitor deve avaliar se o seu candidato sabe quais as necessidades de Sorocaba e Região Metropolitana.

Os problemas que o eleitor considera prioritário são os mesmos que dos candidatos?

Se o seu candidato faz um diagnóstico errado das necessidades da cidade, é sinal de que ele não está bem preparado para assumir o cargo. É preciso haver compatibilidade entre as necessidades da cidade e aquilo que o candidato propõe.

Comentários

Leia também