Entenda porque o presidente da Câmara não virou prefeito

No Dia do Desafio, quando a vice-prefeita aceitou o convite de ir caminhar com o prefeito, dando sinal claro se que ambos estavam decididos a deixar de lado as diferenças que afastaram um do outro e levaram o atual governo aos sucessivos atritos políticos, o presidente da Câmara, Fernando Dini, e as pessoas as sua volta, tinham certeza de que ele seria o prefeito uma vez que Crespo e Jaqueline Coutinho teriam seus mandatos cassados.

A união de Crespo e Jaqueline era vista como descabida e sem propósito. Pior, uma visão errada de que a vice estava sendo “ingênua” e tinha, outra vez, caído do “conto da carochinha” que o prefeito lhe contou. Com o resultado de ontem, ficou claro que não há nenhuma ingênua nesse jogo político. Resta saber o resultado final da Comissão Processante de Crespo para saber se ele deu a tacada certa, como até agora parece que sim, que foi o de se juntar a quem esteve com ele na caminhada da eleição.

O fato é que 24 horas depois da vice ter se mantido no cargo, o que enterrou o sonho de Dini de vir a ser prefeito agora, ele não dá mostrar de que a ficha caiu, ou seja, de que se quiser ser prefeito terá de ser pelas vias normais de uma candidatura e eleição.

Perguntei à sua assessoria qual o sentimento de Dini com o resultado da sessão que manteve Jaqueline no cargo. E a resposta foi de que “a democracia foi feita”. Ok, é verdade, foi mesmo. Insisti e perguntei, em off (ou seja, em sigilo de repórter e fonte), o sentimento do presidente da Câmara e a resposta foi a mesma de que “a democracia foi feita”.

Na noite do feriado de 9 de julho, no Hotel All Inn, perto da Câmara, Ricardo Hoffmann, que é chefe de gabinete do deputado estadual Jorge Caruso, o atual líder da bancada do MDB na Assembleia Legislativa e 1º secretário do Diretório Estadual do MDB, esteve reunido com os vereadores do partido quando se decidiu que todos deveriam votar pela cassação da vice. Inclusive Hudson Pessini que, sabidamente, é o namorado dela. Algo inimaginável levando-se em conta que sejam namorados.

Dini se isolou, achou que estava ganho, me disse hoje um vereador. Dini deu certeza de que estava tudo amarrado. Mas Dini se esqueceu que virou presidente da Câmara por causa do Flávio Chaves e achou estava pronto para enfrentar o Flávio. É muito difícil. A experiência e inteligência do Flávio têm muito a ensinar a todos nós. Havia uma lista com 7 nomes para salvar a vice. E Dini achou que se tirasse um de lá ganharia. Ele não levou em conta que o Flávio tinha um oitavo nome. Foi isso o que aconteceu.

Comentários

Leia também