Escancarado o racha no MDB sorocabano

A contragosto de muitos dos seus filiados, o MDB se juntou ao PSB, PSC e Patriotas ao apoio à candidatura do PSL de Jaqueline Coutinho que concorre à reeleição para prefeita de Sorocaba. Eu expliquei em postagem anterior que o apoio aqui em Sorocaba esteve condicionado aos apoios na candidatura de Ribeirão Preto. Leia a postagem a respeito (http://odedaquestao.com.br/eleicao-de-ribeirao-preto-leva-mdb-a-apoiar-jaqueline-em-sorocaba/).

O que não se sabia era o tamanho deste racha dentro do MDB. E isso ficou evidenciado na última segunda-feira quando o vereador Péricles Régis apresentou uma denúncia ao Promotor de Justiça da Promotoria Cível da Comarca de Sorocaba, do Ministério Público, contra o vereador Fernando Dini, presidente da Câmara.

Para Péricles Régis, Fernando Dini ao fazer a determinação de convocar o suplente de vereador Anselmo Bastos, para a vaga do vereador licenciado por doença Luís Santos, o fez de forma “indevida” provocando “prejuízos aos cofres públicos”. Além disso, o denunciante acusa “ausência de amparo legal” para essa nomeação do suplente. Ele conclui dizendo: “Diante do exposto e considerando os fatos narrados acima, requer-se ao Ministério Público a adoção de providências para, verificado a suposta ilegalidade, desencadear as ações necessárias para correção, bem como apurar responsabilidades”.
Detalhe: o denunciante Péricles, o denunciado Dini e o suplente beneficiado, Anselmo Bastos, são todos do MDB.

Péricles, cujo a esposa é presidente do Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura de Sorocaba, é declaradamente apoiador da prefeita Jaqueline.

Anselmo Bastos, conforme sua postagem em rede social, é declaradamente apoiador da candidata a prefeita do PSDB, Maria Lúcia Amary.

Dini, que queria ser candidato a prefeito e teve de engolir a troca de apoio dos partidos em Ribeirão Preto e Sorocaba, ainda não declarou o seu voto.

A lei é clara em dizer que membros de um partido que decidiu em convenção apoiar o candidato X estão legalmente impedidos de pedir votos para o candidato Y. Ou seja, os candidatos do MDB só poderão pedir votos através de material publicitário (TV, Rádio, Internet, Impressos) para Jaqueline Coutinho. Do contrário vão incorrer em crime eleitoral.

Comentários

Leia também