Esse calor, obviamente, é invenção da esquerdopatia, criativa e imaginativa

Fato 1: O novo ministro do Meio Ambiente não acredita em aquecimento global, dizendo que se trata de argumentação ideológica e, portanto, não fisiológica; o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, há tempos despreza argumentações ou estatísticas sobre mudanças climáticas; o presidente eleito, Bolsonaro, já disse que o Brasil vai manter distância de encontros e decisões que países europeus, principalmente, insistem em fazer sobre o clima e metas ambientais.

Fato 2: Há uma semana o sorocabano (os moradores do Sudeste de uma maneira em geral) sofre com o forte calor e fez do compartilhamento de Memes (piadas) sobre o tema um dos seus afazeres principais – trago 4 deles nesta publicação.

Fato 3: o diretor-geral do Saae, Ronald Pereira da Silva, me disse hoje que em uma semana o consumo de água subiu mais de 25% em Sorocaba em razão do forte calor. Sábado ele teve a informação que Sorocaba chegou a marcar 37º. Li que em uma cidade do Paraná a sensação térmica chegou a 60º. A lógica mostra isso: quanto mais calor, mais consumo de água.

Fato 4: na divisa de Sorocaba com George Oeterer, em Iperó, apenas no domingo passado, a CPFL foi chamada 3 vezes para religar a energia no bairro devido à queda na transmissão, fruto, suponho eu, do alto consumo simultâneo. A companhia não tem serviço de atendimento à imprensa em Sorocaba.

Conclusão: Só resta paciência! E torcer para que o Saae siga tendo competência para não deixar faltar água e a CPFL para não deixar faltar energia. Que o ar condicionado e o ventilador aguentem firme. E, obviamente, que o Trump e Bolsonaro tenham razão e esse calor seja fruto da esquerdopatia, sempre criativa e imaginativa.

Comentários

Leia também