Ex-vereador do PT, que é assessor de deputado tucano, diz que pressão familiar faz ele relutar em ser candidato

O ex-vereador do PT, Arnô Pereira, mas que está há 4 anos filiado ao PSDB, me ligou para contestar o motivo que está fazendo ele relutar em ser candidato a vereador. Eu disse que era por causa do dinheiro, ele disse que não é. E que o partido garante o material de campanha e ele tem amigos para bancarem a gasolina dos carros de campanha. A coluna Arquivo Aberto do Jornal Ipanema informou que o deputado Vitor Lippi (de quem Arnô é assessor) anunciou o apoio a outro assessor JP e teria deixado Arnô desconfortável. Ele disse que não há desconforto algum e o ambiente entre ele, JP e o deputado e demais da assessoria de harmonia. Ele me disse que o presidente do diretório municipal, João Leandro da Costa Filho, conta com sua candidatura. Enfim, Arnô não quer ser, ou ao menos reluta em ser candidato a vereador, por causa da sua família. Na campanha de 2012 Arnô disse que sofreu ameaças e a agressão sofrida por ele durante manifestação do impeachment, onde ele levou um soco na boca (foto) no bairro Campolim, são os motivos. “A minha família tem medo que alguém me quebre para valer. É só esse o motivo de ainda não ter decidido ser candidato”, me disse Arnô.