Fila para exames de mamografia vira disputa política partidária

Representantes da Liga Sorocabana de Combate ao Câncer estiveram na Câmara de Vereadores, no último dia 4, para divulgar a campanha Outubro Rosa, com o tema “Um Toque que Salva”, e também convidar a todos para a 4ª Corrida Pink do Bem, que acontece no próximo dia 21 de outubro, no Parque das Águas, cuja renda será totalmente revertida a realização de exames de mamografias.

Na oportunidade, Márcia Rodrigues, presidente da Liga Sorocabana de Combate ao Câncer, acompanhada de outras voluntárias, lembrou a fundação, há 43 anos, da Liga e revelou que até o mês de julho deste ano, cerca de 3900 mulheres estavam na fila da mamografia no Município, com previsão de três anos para o atendimento. “Quem sabe um dia consigamos zerar a fila, que é um sonho da Liga”, afirmou.

Críticas do PTe PSOL

A vereadora Fernanda Garcia (PSOL) ressaltou a falta de ginecologistas nas Unidades Básicas de Saúde e também a dificuldade encontrada pelas mulheres para fazerem o exame de Papanicolau, além da mamografia. “As mulheres estão morrendo pela falta de um atendimento mais rápido”, disse. Em seguida, Toninho Corredor (Patri) deu o exemplo de uma munícipe do Conjunto Habitacional Habiteto que aguarda desde 2016 pelo exame de mamografia. Em resposta ao parlamentar, Marcia Rodrigues disse que serão atendidas pela Liga, com a arrecadação da corrida, as mulheres que aguardam a mais tempo pelo exame.

Além de críticas em plenário, a vereadora Iara Bernardi (PT) divulgou em seus canais novas críticas: “Como deputada, eu trouxe R$ 600 mil reais em 2013 para a construção de uma ala na Policlínica para tratar da saúde da mulher. Mas essa ala jamais foi estruturada. A Policlínica não tem mamógrafo”, disse Iara. “O sistema de atendimento pelo qual a mulher primeiro passava por uma UBS, depois pela Policlínica e enfim pela Santa Casa, o que garantia o tratamento, foi desmantelado”, acrescentou. E, por fim, afirmou: “Não vemos as políticas sociais traduzidas no Orçamento da Prefeitura. Se não fossem as entidades sociais, a situação estaria muito pior”.

Defesa da Prefeitura

Via assessoria de comunicação da prefeitura, hoje, a secretária de Saúde, advogada Marina Elaine Pereira, informou que a sua pasta, a Secretaria de Saúde, aumentou em 65% o número de mamografias na Santa Casa em 2018. Até o fim do ano serão realizados 5.520 desses exames. Em 2017 o total foi de 3.343, e frisou: “graças ao grande empenho da gestão do prefeito Crespo em parceria com a Santa Casa” isso vai acontecer. El aproveitou e elogiou “o atual gestor da Santa Casa, padre Flávio Miguel Jorge Júnior, que é um grande parceiro”. Ela informa também que Sorocaba realiza mais 1.512 mamografias por mês através do prestador de serviços Linus Pauling.

Demanda reprimida

A assessoria da prefeitura, ainda diz: “ao assumir a prefeitura de Sorocaba, o prefeito José Crespo se deparou com uma demanda reprimida muito grande para a realização dos exames de mamografia. A fila era de 9 mil mulheres. Após iniciativas de gestão com o objetivo de melhorar a saúde da cidade, foi possível reduzir essa fila para 2.300 pacientes. Hoje, o tempo de espera para realizar o exame não ultrapassa dois meses”.

Comentários

Leia também