Flávio Amary está com um olho no peixe e o outro no gato

Ao ver que representantes de 19 estados do Brasil se reuniram e elegeram o secretário de Habitação do governo do Estado de São Paulo, o sorocabano Flávio Amary, como novo presidente do Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano, me veio imediatamente à cabeça o provérbio “um olho no peixe e outro no gato”. Esse provérbio nasceu da habilidade do peixeiro em manter vigilância e estar alerta em sua atividade, ou seja, enquanto limpa e prepara um peixe para o cliente da vez, também fica atento ao peixe já limpo para que o gato não o apanhe e saia correndo com o seu ‘prêmio’ na boca.

Flávio Amary está à vontade como secretário de Estado. Parece até um veterano na função, embora seja sua primeira experiência dessa natureza. Até então ele havia brilhado no setor privado, sendo respeitado por pessoas que pensam como ele, presidindo o Secovi (Sindicato da Habitação), uma das mais poderosas organizações patronais da América Latina.

Mesmo estando bem na função de secretário, o nome de Flávio Amary é sistematicamente lembrado em Sorocaba, especialmente numa camada bastante específica do eleitorado, como sendo candidato a prefeito de Sorocaba em 2020. Há até discussões: Ele deve vir. Não, ele tá bem lá e deve aproveitar. De secretário daqui a pouco pode ser ministro e se for prefeito vai se rebaixar… Há argumento de todos os tipos.

Por isso digo, ao sedimentar-se na estrutura do governo e ser parceiro do governador Dória e, mesmo assim, manter seu nome entre os lembrados para concorrer a prefeito de Sorocaba, Flávio Amary trabalha nas duas pontas de seu futuro político. O cenário político, do momento da decisão, é quem vai esclarecer para que lado ele vai.

Repito, essa é minha interpretação.

Fórum Nacional

A eleição de Flávio Amary para presidir o Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano marca a retomada das atividades da entidade, uma vez que os cargos estavam vagos desde a posse dos novos governadores. Ao longo dos últimos anos, os encontros do Fórum se tornaram o principal evento do segmento público de Habitação do Brasil.

Para Flavio Amary, o Fórum objetiva o fortalecimento do papel dos estados na política nacional de Habitação. “Esperamos que a composição da nova diretoria alie a força técnica e política para a interlocução com o Governo Federal em temas de extrema importância, como o futuro do Programa Minha Casa Minha Vida, e assegure a participação dos Estados na elaboração das políticas habitacionais de interesse social”, disse.

Amary aproveitou para agradecer o apoio dos representantes estaduais presentes e ressaltou que a ação conjunta trará muito mais força do que trabalho de cada Estado brasileiro em separado. “Eu acredito muito na busca do consenso, do equilíbrio, da conversa e que a gente, junto, consiga trazer mais habitação, mais recurso e mais facilidades para nossa produção e nosso trabalho, cada qual no seu Estado”, destacou.

Interlocução federal

A participação de todos os Estados no Fórum, na análise do novo presidente eleito, facilitará o encaminhamento das pendências regionais na defesa da bandeira nacional da Habitação. A capilaridade do grupo pode ser ferramenta decisiva para o fortalecimento do setor no mercado, especialmente junto ao governo federal, segundo ele. “É importante reiterar, ainda, o intercâmbio com o governo federal, tendo em vista que a Habitação traz sempre como resultado não só o atendimento social, mas a geração de empregos e o fomento da economia”, concluiu Amary.

O governador de São Paulo, João Dória Jr., esteve no Fórum e parabenizou a diretoria eleita. O Governador falou sobre a importância da cooperação do trabalho do secretariado. “É importante o trabalho de cooperação entre secretarias porque isso ajuda, facilita, encurta tempo, usam-se experiências bem-sucedidas para que possam ser aplicadas em outras regiões, evitam-se os erros também. A ação cooperada traz vantagens extraordinariamente boas”, afirmou.

O governador também citou o projeto da PPP da Habitação do Município de São Paulo – uma parceria entre município, Estado e iniciativa privada recém-lançada na capital paulista – como um exemplo de sucesso, quando o trabalho de cooperação é bem feito.

Representação paulista

Entre as autoridades presentes no encontro, estava Celso Matsuda, secretário Nacional da Habitação, que falou no evento os planos de ação do Governo para a Habitação Social. Ele confirmou a eleição de Amary como uma demonstração da representatividade paulista no setor nacional.

Fernando Marangoni, secretário executivo da Habitação de São Paulo, inclusive assumiu a coordenação do grupo técnico de trabalho do Fórum, com a missão de apoiar a formulação da Política Nacional de Habitação Social junto ao Governo Federal. “Sinto-me honrado e estimulado a coordenar a apresentação das sugestões dos estados para que cheguemos a uma política nacional mais consolidada, capaz de multiplicar as soluções de habitação social nos vários cantos do país”, afirmou ele.

Os encontros do Fórum devem acontecer mais três vezes em 2019. O próximo deles ficou agendado para o dia 5 de agosto, no Palácio do Buriti, em Brasília. Nos próximos anos, a ideia é que os encontros sejam trimestrais.

O Fórum foi também oportunidade para que Flavio Amary apresentasse aos representantes de outros estados as diretrizes do programa Nossa Casa, uma iniciativa do governo paulista que visa fomentar a produção habitacional nos municípios e subsidiar as famílias de mais baixa renda. “O Nossa Casa incrementará a produção habitacional, também gerando emprego e renda, e reduzirá o preço de casas, apartamentos e lotes de interesse social. O programa será complementar à produção da CDHU, para aumentar a oferta de habitação de interesse social em todo o estado”, disse ele.

Comentários

Leia também