Governador de São Paulo e o déja vu (já visto) da duplicação da SP-79

Alckmin2012Alckmin2017Déjà vu, a expressão da língua francesa que significa “já visto”, descreve a reação psicológica da mente humana na transmissão de ideias de que já se esteve naquele lugar antes ou já se viu aquelas pessoas.

Há expressão mais adequada para a manchete “Obra de duplicação da rodovia SP-79 é retomada nesta quinta-feira”?

Pois é, o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, visitou Sorocaba na manhã desta quinta-feira (28/12/2017), em cerimônia que marcou a retomada das obras de duplicação da rodovia Waldomiro Corrêa de Camargo, a SP-79, entre Sorocaba e Itu, o principal corredor dos moradores dos bairros Éden e Cajuru.

Opa!

2017?

Há 5 anos, em 2012, a imprensa noticiou o mesmo fato, com os mesmos personagens, com os mesmos discursos, com o mesmo cafezinho de Geraldo Alckmin no balcão de algum estabelecimento da região.

Alckmin tem o dom de inaugurar a mesma obra 5, 6, 10, 20 vezes se for necessário. O evento de hoje parecia um favor, quando demonstrou o que é a gestão do governo em relação à Sorocaba e região. A obra de duplicação estava paralisada desde março de 2015 por conta de uma desapropriação pendente.

O que é déjà Vu, segundo o dicionário:

Déjà vu, pronuncia-se Déjà vi, é um termo da língua francesa, que significa “já visto”. Déjà vu é uma reação psicológica que faz com que o cérebro transmita para o indivíduo que ele já esteve naquele lugar, sem jamais ter ido, ou que conhece alguém, mas que nunca a viu antes.

Déjà vu é uma sensação que surge ocasionalmente, ocorre quando fazemos, dissemos ou vemos algo que dá a sensação de já ter feito ou visto antes, porém isso nunca ocorre. O déjà vu aparece como um “replay” de alguma cena, onde a pessoa tem certeza que já passou por aquele momento, mas realmente isso nunca ocorreu.

O déjà vu ocorre porque o cérebro possui vários tipos de memória, como a memória imediata, que é capaz de repetir um número de telefone e depois esquecê-los. A memória de curto prazo dura algumas horas e a memória de longo prazo, que dura meses ou até anos. O déjà vu é na verdade, uma falha no cérebro, onde os fatos que estão acontecendo são armazenados diretamente na memória de longo ou médio prazo, quando o correto seria ir para a memória imediata, dando assim a sensação que o fato já ocorreu antes.

Comentários

Leia também