Governo Crespo completa o seu primeiro mês com ações práticas, especialmente na área da saúde, mas a visão do cidadão comum é que ele ainda não fez nada e só apagou incêndios. Prefeito quer alinhar atos, fatos e comunicação

CrespoETA

Por mais de uma vez na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) falei que o governo Crespo parecia que tinha meses pelo fato de tanta notícia que gerou. Foram 31 dias intensos onde os fatos negativos ganharam muito mais destaque do que os positivos. Fui didático toda vez que disse isso e um interlocutor importante do Ministério Público sorocabano, que prefere o anonimato, chegou a dizer que eu estava desejando o lugar de Eloy de Oliveira, secretário de Comunicação de Crespo. Algo absurdo, obviamente. Mas que respeito pois se essa figura pública, como ouvinte, teve essa impressão é porque ela é verdadeira. Espero, de fato, corrigir essa minha mensagem equivocada. O fato, repito, é que Crespo perdeu para a oposição o sentimento da opinião pública em relação ao seu governo. Não há, obviamente, pesquisa científica ou qualquer outro método de medição, apenas a sensação o que em comunicação costuma ser infalível.

Perguntei a algumas pessoas a mesma coisa: O que você achou do Crespo neste primeiro mês?

As respostas foram: Não conseguiu mostrar quase nada; só apagou incêndio; passou um mês e nada de concreto.

Porque dessas respostas? Entendo que o noticiário, que foi replicado em redes sociais com a tendenciosidade que lhe é peculiar, enfatizou antes de qualquer ação do governo apenas fatos negativos: que era errado a criação de cargos na reforma administrativa, a troca de 4 secretários nos primeiros dias de governo, os memes sobre o prefeito fazendo exercícios no pátio da prefeitura; ouvi até mesmo que o prefeito ainda não levou objetos pessoais para sua sala na prefeitura. Ao poucos, com o passar dos dias, o que o prefeito fez de importante não ganhou o devido destaque: economia de R$ 30 milhões no contrato da merenda, assinatura do contrato para a licitação da Estação de Tratamento de Água e Esgoto do Vitória Régia; acordo para evitar a greve dos médicos da Santa Casa; reabertura até às 19h do horário das Unidades Básicas de Saúde o que foi tema da campanha eleitoral; a volta do atendimento pediátrico na UPH (Unidade Pré-Hospitalar) da Zona Norte que foi motivo de reclamação por 3 anos seguidos contra o governo Pannunzio, criação da Associação dos Transgêneros de Sorocaba (o que é significativo a quem passou a campanha inteira rebatendo a afirmação de que é homofóbico). Há seguramente outros fatos positivos. Mas eles não chegaram ainda ao sorocabano.

FOTO: Momento em que o prefeito Crespo assina o contrato para a licitação da Estação de Tratamento de Água e Esgoto do Vitória Régia