Grupo da China quer comprar o Aeroporto de Sorocaba e aguarda resposta do governo se vai vender. Deputado explica que a sociedade sorocabana é contra a privatização e revela melhorias na torre de controle e sua internacionalização

AeroportoA iniciativa do governo federal de incluir 13 aeroportos no programa de desestatização, que deverão ser concedidos à iniciativa privada, despertou o interesse de um grupo da China no Aeroporto de Sorocaba que é estadual (portanto fica fora da alçada das privatizações do governo federal). Como para quem está de fora não é simples compreender essa situação, o que os chineses fizeram foi uma proposta ao governo paulista para comprar o Aeroporto de Sorocaba.

O grupo chinês usou de uma instrumento chamado MIP (Manifestação de Interesse da Iniciativa Privada)  que está regulamentado no Estado de São Paulo desde 2011 através do Decreto nº 57.289/11. O MIP permite que a iniciativa privada trabalhe na estruturação de projetos de infraestrutura, como a PPPs (Parcerias Público-Privadas), além do desenvolvimento do projeto, a apresentação de estudos técnicos, econômico-financeiros, jurídicos e outros documentos inerentes à licitação.

Em visita ao Parque Tecnológico de Sorocaba, realizada no dia 24 de julho, empresários chineses da província de Guangdong, demonstraram especial interesse nas operações do aeroporto local e nas atividades de manutenção de aeronaves realizadas pelas empresas sorocabanas. Li Yi, diretor adjunto do Centro de Serviços de Circuitos Integrados de Zhuhai disse que a China não tem  nenhuma estrutura de serviços similar aos hangares de manutenção de Sorocaba e que há a disponibilidade para parcerias futuras entre o município e os chineses.

Deputado atento

Durante entrevista na manhã de hoje à coluna O Deda Questão no Jornal Ipanema (FM 91,1Mhz), o deputado federal Vitor Lippi, que é do PSDB, mesmo partido do governador paulista Geraldo Alckmin, explicou que quando acontece uma manifestação através do MIB a legislação determina todo um trâmite de análise até que possa ser dada uma resposta. E essa análise não está pronta, afirmou Lippi.

Ele adiantou que defende que o Aeroporto de Sorocaba fique sob o comando do Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo) entre as possíveis razões por duas em específico: é um aeroporto superavitário, portanto dá lucro e não prejuízo, e tem uma função estratégica de estrutura e logística como poucos. Lippi lembra que 52 empresas que fazem manutenção de avião estão instaladas no Aeroporto de Sorocaba sendo que algo similar existe apenas na França.

O governador já sabe que a região é contrária a privatização e que a comunidade espera que a resposta ao grupo chinês que apresentou o MIP seja não. Mas ele também afirmou que sabe que não são apenas questões políticas que se envolvem numa decisão como essa e ninguém pode dar garantia a ninguém.

Na sua defesa do Aeroporto de Sorocaba, que é histórica e envolve políticos de vários partidos como a ex-deputada federal Iara Bernardi do PT e o deputado federal Jeferson Campos do PSD, Lippi informou que conseguiu junto ao Ministério das Cidades da liberação de R$ 8 milhões que serão enviados ao Daesp para a aquisição de equipamentos que vão colocar em funcionamento a Torre de Controle do Aeroporto de Sorocaba.

O deputado também informou que está próxima uma outra conquista: a homologação da pista do Aeroporto de Sorocaba, que já foi ampliada, no mapa da navegação. Ou seja, explicou o deputado, não basta a obra estar feita (pista ampliada) é necessária que ela seja incluída nas informações oficiais.

Por fim, Lippi explicou que o próximo aeroporto a ser internacionalizado será o de Sorocaba. As vantagens dessa classificação é para a chegada e partida de jatos de pequeno porte de particulares ou empresas realizarem sua operação diretamente de Sorocaba, situação que hoje é fora da lei.

Comentários

Leia também