Indústria tem saldo positivo de emprego, apesar das demissões na Toyota

Embora a Toyota tenha confirmado o fim do terceiro turno de sua montadora de Sorocaba e a da fábrica de motores de Porto Feliz, o que até agosto deverá significar mais de 700 demissões, o resultado da pesquisa de emprego do mês de maio de 2019 na região de Sorocaba, composta por 48 municípios, apresentou variação positiva de 0,29%, o que representa um aumento de aproximadamente 300 postos de trabalho.

Esse dado é da Fiesp-Ciesp (Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) que também demonstra que no acumulado de 2019 a variação do emprego na região foi de 0,27%, o que equivale ao aumento de cerca de 250 vagas de emprego. Quando comparados os meses de maio de 2018 e 2019, o cenário é melhor, pois em maio de 2018 o resultado foi negativo em 0,61%. Já nos últimos 12 meses, o acumulado é de 0,23%, representando também um aumento de 250 postos.

Os setores da indústria que influenciaram positivamente o cálculo do indicador total da região no último mês foram: Confecção de Artigos  do Vestuário e Acessórios (4,21%); Máquinas e Equipamentos (1,32%); Produtos Químicos (1,06%) e Produtos Alimentícios (0,47%).

De acordo com o diretor titular do Ciesp Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, o desempenho positivo do mês de maio é reflexo de novas empresas que se instalaram na região nos últimos meses: “A região de Sorocaba é uma das mais bem preparadas do Brasil para receber novos investimentos de empresas nacionais e multinacionais. Isso porque oferece mão de obra qualificada aliada a uma infraestrutura excelente e boa qualidade de vida”, observa Syllos.

Crise na Argentina

Dados do Sindicato dos Metalúrgico de Sorocaba indicam que a Toyota já demitiu 340 funcionários de sua planta em Sorocaba e até o dia 5 de agosto, quando encerrará o terceiro turno da unidade, demitirá mais 400 trabalhadores, encerrando os contratos temporários estabelecidos quando aquele turno foi criado, no final do ano passado, num total de 740. Em Porto Feliz, onde são fabricados os motores da marca, as demissões atingirão 100 funcionários, e será encerrado também o terceiro turno.

A principal causa das demissões é o desempenho nas exportações da marca, afetado principalmente pela crise da Argentina, o maior importador dos automóveis brasileiros da marca, bastante abaixo do previsto nos últimos dois anos, quando o terceiro turno de Sorocaba começou a ser planejado.

Comentários

Leia também