Interpretação sobre a subida na intenção de votos do candidato do PSOL é vista mais como um Não a Crespo/Renato do que um Sim a Raul Marcelo. Neutralidade do PSDB no 2º turno já é interpretada como responsável por esta situação

rcamiguinhosMesmo fora do 2º turno, PSDB segue o fiel da balança para decidir quem será o futuro prefeito. Os empresários (sejam os pequenos, médios e até mesmo muitos dos grandes) começaram a deixar de lado a neutralidade, pois tinham certeza da eleição de Crespo, e oferecem-se para ajudar pois é reinante entre eles um temor de que Raul Marcelo, por ser do PSOL, transforme a cidade numa cenário de esquerda. E são esses empresários os primeiros a apontar o dedo em direção ao PSDB que se decidiu por não apoiar ninguém no 2º turno, embora incentive, mesmo que veladamente, ninguém a votar em Crespo.  Captei o sentimento desse grupo interessado na eleição de Crespo que eles já indicam o PSDB como os responsáveis por esta situação. Para esse grupo, a subida de Raul se dá em razão dos votos dos eleitores do PSDB que dizem Não a Renato Amary (o grande apoiador de Crespo). Não se trata de um Sim a Raul Marcelo que está se beneficiando por estar no papel de antagonista neste momento da história da cidade.

Minha percepção, no ninho tucano sorocabano, é o sentimento é que para a cidade, o melhor seria Crespo. Mas para o partido, o melhor é Raul. Derrotar Crespo significa derrotar Renato, significa deixar todos iguais (ou seja, derrotados) e no mesmo patamar, portanto, para a próxima eleição que é o que move o político. Se Crespo perder ele será tão perdedor quanto Vitor Lippi (o cabo eleitoral nº 1 de João Leandro). Se Raul ganhar, vai significar enterrar qualquer “mexida” que Crespo vá fazer nas contas da administração tucana, especialmente dos governos Vitor Lippi.

O fato é que o clima sonso do 1º turno das eleições e dos 10 primeiros dias do 2º turno já é passado. Desde que foi divulgado o resultado da pesquisa Ibope/TV Tem na última segunda-feira, dando conta de um empate técnico entre Crespo e Raul Marcelo, esquentou a temperatura das campanhas. Nas redes sociais, pessoas que não diziam publicamente que votam em Raul Marcelo sentem-se à vontade para dizer o voto agora. Eleitores de Raul Marcelo fazem lista com motivos para não votar em Crespo e, no geral, elas dizem respeito ao comportamento de Crespo quando vereador onde não fugia de uma polêmica. A tentativa é de taxar Crespo de racista, preconceituoso, homofóbico, incoerente, destemperado.

Está claro que são grupos antagônicos (empresários de um lado e militantes de esquerda de outro) que dominam a cena deste momento da eleição. Estou atento para ver se percebo o momento em que a tese de um lado ou outro vai colar no cidadão comum, ou seja, no eleitor que decidirá a eleição. Naquela pessoa que leva sua vida fora deste mundinho de articulações. Evidentemente as redes sociais são um grande campo dessa batalha, mas o WhattsApp (ou seja o celular que está à mão a todo tempo) não fica atrás.

Um movimento diferente, cujo o resultado ainda não consegui captar, está sendo feito por vereadores como Manga (o eleito com mais votos), Martinez eleito vereador pelo PSDB), Cláudio do Sorocaba 1 (que concorreu a vice na chapa do PSDB)…. Eles estão atrás de colegas que concorreram a vereador e tiveram votação pequena (alguns até mesmo menos de 100 votos) ou grande votação e estão pedindo o empenho deles para que trabalhem pela eleição de Crespo. O contato pessoal (que apenas esses candidatos conseguem) ainda é o que há de mais eficiente. Resta saber quantos eleitores serão alcançados em tão pouco tempo, afinal faltam apenas 10 dias para a eleição.

 

A foto, já publicada neste blog, é da noite do dia 2 de outubro quando já estava definido que Raul e Crespo estavam no 2º turno. Ao acaso eles se encontraram na Padaria Real e foram absolutamente cordiais um com o outro. Sentimento absolutamente inexistente entre os grupos simpatizantes dos dois