Manga explica que o governo Crespo era absolutamente fechado e o da prefeita Jaqueline está voltado ao diálogo e à valorização do trabalho dos vereadores

PrefeitaVereadoresOutro ponto importante da entrevista de Rodrigo Manga, presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba, na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91.1Mhz) na manhã de hoje, foi sobre a diferença de relacionamento da prefeita Jaqueline Coutinho com os vereadores.

Enquanto o prefeito Crespo não recebia os vereadores, não permitia que os secretários atendessem aos vereadores e não tinha disposição em dialogar com os vereadores sobre projetos, a prefeita Jaqueline Coutinho dá cada passo combinado com os vereadores.

Manga explicou que os vereadores alertaram a prefeita de que o aumento do IPTU seria ruim para o cidadão e o momento era o de ouvir esse clamor popular e o que ela fez? Ela retirou do projeto o aumento do IPTU, mantendo o repasse da inflação. Ou seja, ela é sensível ao que os vereadores dizem que são as pessoas mais próximas do povo.

Outro exemplo sobre a diferença entre Jaqueline Coutinho e Crespo, dado pelo presidente da Câmara. Ela não alimenta picuinhas e quem tem papel importante nisso é o secretário de Relações Institucionais, Francisco Pagliato Neto. Lembram-se que Crespo impediu que os vereadores Vitão do Cachorrão e Fausto Peres participassem de uma reunião pública no 6º andar? Com a prefeita Jaqueline isso não aconteceria e não acredito que venha a acontecer.

Um terceiro exemplo dado por Manga para explicar a diferença de administrar entre Crespo e Jaqueline trata de um projeto de lei, de 2014, de autoria de Manga, que prevê a instalação de uma pequena sala de primeiros socorros dentro dos terminais de ônibus. Mesmo aprovado naquele ano, o então prefeito Pannunzio vetou. Começou o governo Crespo e Manga levou o projeto a ele que pediu paciência, deixando a possibilidade de fazer o projeto m 2018. Com a entrada de Jaqueline, Manga voltou com o projeto e ela decidiu que até o Natal vai construir as unidades previstas no projeto.

Minha interpretação sobre isso

A prefeita Jaqueline Coutinho foi brindada pelos vereadores que cassaram o mandato de Crespo com o cargo mais importante da cidade e reconhece, em cada ação, esse presente. Nesse primeiro mês como prefeita, ela tratou de retribuir o que os vereadores fizeram por ela. Enquanto há essa indefinição da justiça sobre o definitivo afastamento de Crespo, a lua-de-mel entre ela (dona da caneta) e os vereadores (donos das aprovações ou reprovações do que essa caneta assina) vai prosseguir. Quando houver definição vão pesar duas situações: 1ª) as vontades da prefeita (até agora não externou nenhuma) e 2ª) o tamanho do bolso (se haverá dinheiro para seguir atendendo aos anseios dos vereadores e colocar em prática os dela que, certamente, ela tem).