Medo de ação do MP leva prefeitura a cancelar shows

A Prefeitura de Sorocaba esclarece que a opção de não realizar shows com os artistas locais na 39ª edição da Festa Junina Beneficente de Sorocaba ocorreu por cautela, já que a legislação proíbe essa atuação à administração. Recorde-se que foi movida uma ação pública, sob a acusação de improbidade em 2011, contra o prefeito e o secretário de Cultura da época justamente por eles terem contratado shows para esse mesmo evento. Essa ação ainda não foi concluída.

Festa não é da prefeitura

Em Nota Oficial, a Prefeitura informa: “É importante destacar que a Festa Junina é um evento beneficente e que a Afejubes (Associação das Entidades Participantes da Festa Junina Beneficente de Sorocaba), responsável pela realização, é uma associação de 33 entidades filantrópicas, que não têm fins lucrativos e que desenvolvem suas ações em Sorocaba. A maioria delas depende da realização da Festa Junina para a sua sobrevivência, sendo este o mais importante meio de arrecadação para suas atividades no ano todo”.

Sendo assim, explica a Nota Oficial, a Prefeitura abriu um edital de chamamento, publicado no dia 8 de março no Jornal Município de Sorocaba: http://agencia.sorocaba.sp.gov.br/jornal-do-municipio/, para repassar a responsabilidade da festa. O período de inscrição para os interessados foi de 12 de março a 12 de abril. O edital convocava entidades e/ou organizações não governamentais sem fins lucrativos, que representassem associação em sua finalidade e formação, entidades beneficentes de Sorocaba declaradas de utilidade pública, estas devidamente cadastradas e regulamentadas no Fundo Social Solidariedade de Sorocaba e na Secretaria de Igualdade e Assistência Social, e que esse edital selecionou a Afejubes.

A entidade demonstrou interesse em realizar o evento e apresentou todos os documentos solicitados no edital e assumiu a incumbência, sem onerar os cofres públicos e oferecendo toda a estrutura necessária para a execução do evento, incluindo segurança interna e ambulância. De acordo com o edital, as obrigações da entidade são: organizar e realizar a montagem de toda estrutura necessária que se fizer para o desenvolvimento das ações durante o período do evento, baseado nas especificações de montagem, segurança, equipamentos, materiais, atrações artísticas, estacionamento, divulgação, bilheteria, alimentação, fechamentos e AVCB. Tudo isto foi atendido.

Com a decisão de a Prefeitura repassar a responsabilidade da festa para a Afejubes, as apresentações com artistas locais e regionais que ocorreriam no Palco Cultura da Festa Junina foram reprogramadas. Em invés de promover essa programação cultural no recinto da Festa Junina, ela será realizada no Arraial da Cultura, que ocorrerá no Parque dos Espanhóis. A programação está sendo montada ainda.

Bônus financeiro e político

Embora feita pala Associação das Entidades Participantes da Festa Junina Beneficente de Sorocaba, que lucra financeiramente, quem tira os proveitos políticos é o prefeito da vez. Assim tem sido ao longo da história e não foi diferente agora. Exceção ficou para 2017 quando Crespo estava no auge da briga com a vice-prefeita e não se arriscou a ir de barraca em barraca na festa. Nesta aqui ele foi e tirou dezenas de fotos (que estão no site da prefeitura) com as pessoas que estão trabalhando nas barracas. Na hora de acender a fogueira, quem representou o Legislativo foi Wanderlei Diogo. Manga, em 2017, foi impedido de discursar e neste ano não foi na abertura.

Comentários

Leia também